Tamanho do texto

A decisão de não amamentar foi feita para preservar a saúde mental da mãe

Grávida do quarto filho, a australiana Jessica Hood , 30 anos, fez uma publicação em sua conta no Instagram explicando o que a motivou a não querer amamentar seu filho que está por vir e por que está tudo bem em ter tomado esta decisão.

A australiana Jessica Hood tomou a decisão de não amamentar seu quarto filho para preservar a sua saúde mental
Reprodução/Instagram
A australiana Jessica Hood tomou a decisão de não amamentar seu quarto filho para preservar a sua saúde mental

“Embora seja um assunto um pouco controverso, acho que é algo que precisa ser falado mais. Há meses eu tomei a decisão consciente de não amamentar meu bebê quando ele chegar. Hoje, finalmente me abri sobre isso e muitas mulheres me procuraram, agradecendo pela minha coragem de ser honesta sobre o assunto”, escreve Jessica.

A australiana explicou que a decisão foi tomada para garantir a sua saúde mental, já que ela teve problemas na amamentação dos outros filhos. “A minha luta com a amamentação definitivamente se tornou um gatilho para a minha depressão pós-parto ”, fala a australiana. 

Jéssica conta que a experiência com o filho mais novo foi dura porque a criança estava abaixo do peso e o leite materno não era suficiente para nutri-lo. Isso fez com que a mãe sofresse muito durante esse processo e sentisse como se estivesse fazendo tudo errado. “Então, sim, eu não vou  amamentar o meu bebê e não estou nem um pouco envergonhada”, escreve.

Em entrevista ao jornal britânico “Daily Mail”, Jessica conta que sua publicação teve uma repercussão positiva e que muitas mães a elogiaram por ser tão honesta em relação a sua decisão. A australiana fala que ficou muito feliz com as respostas que recebeu, mas que ficou chateada por saber que muitas mulheres já se sentiram intimidadas por fazer escolhas como essa.

Jessica espera que algo mude em relação a isso e que as mulheres se apoiem cada vez mais em suas decisões, não importa o que aconteça. “Que nós nos sintamos confortáveis com nossas escolhas e possamos nos apoiar a tomar nossas decisões”, disse.

Amamentar ou não o bebê?

A decisão de amamentar ou não o bebê deve ser tomada de forma consciente sempre com acompanhamento pediátrico
shutterstock
A decisão de amamentar ou não o bebê deve ser tomada de forma consciente sempre com acompanhamento pediátrico

A australiana explica que não amamentará o seu bebê principalmente por conta de suas experiências anteriores. Por isso, seu relato não deve ser encarado como regra. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o aleitamento materno é recomendado até os dois anos, sendo exclusivo nos seis primeiros meses de vida. Em caso de recusa do bebê ou dificuldade para amamentar , o ideal é buscar orientação médica para garantir que a criança tenha um desenvolvimento saudável. 

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.