Tamanho do texto

Apaixonada por pole dance, Christina apoia os benefícios para a saúde física e mental e a importância da atividade antes e depois do nascimento do bebê

Christina Spirig é uma instrutora suíça de pole dance apaixonada pela atividade — tão apaixonada que nem mesmo sua gravidez fez com que ela parasse de praticar. Grávida aos 30 anos de idade, ela ignorou o conselho da família para parar de praticar o pole dance, um dos mais inusitados exercícios na gravidez.

Leia também: Grávida de 9 meses chama atenção ao fazer pole dance usando salto altíssimo

Após ficar grávida, a família e amigos íntimos falaram para Christina deixar de fazer pole dance, mas ela conta que continuou a fazer exercícios na gravidez até duas horas antes de as contrações começarem e o parto do filho acontecer
Reprodução/Instagram
Após ficar grávida, a família e amigos íntimos falaram para Christina deixar de fazer pole dance, mas ela conta que continuou a fazer exercícios na gravidez até duas horas antes de as contrações começarem e o parto do filho acontecer


Com um “barrigão”, ela continuou praticando pole dance até momentos antes de as contrações começarem, de acordo com informações do “The Sun”. “Meu bebê estava dormindo enquanto eu fazia pole dance, então nunca foi afligido pela atividade”, afirma Christina, sobre seus exercícios na gravidez .

“Algumas pessoas, principalmente minha família e meus amigos íntimos, ficavam preocupadas com a possibilidade de eu cair da barra ou se eu estava colocando meu bebê em um risco desnecessário. Outras elogiavam meus vídeos no Instagram e algumas mulheres grávidas também praticantes do pole até chegaram a me pedir dicas de exercícios na gravidez”, conta.

Assim, Christina, que já era mãe de um menino de oito anos de idade, continuou a praticar os exercícios na gravidez independentemente do choque e dos comentários das outras pessoas. Ela revela que estava na barra duas horas antes de suas contrações começarem e que voltou a praticar sete semanas após o nascimento do bebê, em junho.

Leia também: Grávida impressiona com pole dance e acrobacias no 7º mês de gestação

A história de Christina com o pole e por que ela fazia exercícios na gravidez

Ela explica que continuou fazendo os exercícios na gravidez, mas com algumas adaptações, como, por exemplo, sem posições envolvendo a barriga e a redução da rotina de exercícios, já que a prática do pole dance na gravidez tem riscos
Reprodução/Instagram
Ela explica que continuou fazendo os exercícios na gravidez, mas com algumas adaptações, como, por exemplo, sem posições envolvendo a barriga e a redução da rotina de exercícios, já que a prática do pole dance na gravidez tem riscos


Hoje, Christina é dona do estúdio Poledance Luzern e conta que começou a praticar após o nascimento de seu primeiro filho. “Pratico pole desde 2010, quando queria encontrar uma atividade física da qual eu realmente gostasse”, diz. Ela explica que começou quando viu a foto de uma amiga fazendo pole.

De acordo com a mãe, pole dance pode beneficiar a saúde física e mental. “Você pode entrar em forma enquanto fica balanceada e em paz durante a atividade. É a combinação de força, flexibilidade, arte e dança”, define.


No entanto, ela admitiu que existem riscos em fazer pole dance grávida e faltando poucas semanas para o nascimento do bebê. “No quinto mês de gravidez, quando minha barriga já estava maior, eu tirei as posições que envolviam a barriga”, conta, sobre a redução de exercícios na gravidez. “O perigo é cair do pole ou bater com a barriga na barra. Por isso, é importante saber do que seu corpo é capaz.”

Leia também: Grávida de nove meses choca ao levantar peso na academia

Christina ainda afirma que é melhor fazer os exercícios na gravidez para quem já estava acostumada com o pole. “O pole dance me fez recuperar do parto mais facilmente e até do cansaço de voltar ao meu trabalho. Eu tomava cuidado e prestava atenção ao meu corpo e, se me sentisse mal ou insegura, eu não praticava”, finaliza suas dicas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.