Tamanho do texto

Mulher insistiu para o marido arrumar a cadeirinha do filho, que estava frouxa, 15 minutos antes de o pai bater o carro: "Poderia ter sido pior"

A norte-americana Rebecca Boyer conta é muito criticada por ser uma mãe superprotetora . Seu jeito exagerado, no entanto, salvou a vida do pequeno William. No Facebook, a mulher revelou que em seu primeiro dia de trabalho, ao voltar da licença-maternidade, ficou preocupada com o garotinho e mandou várias mensagens para o  marido.

Mensagem de mãe superprotetora foi o que salvou o pequeno William: a cadeirinha estava frouxa e o pai não tinha visto
Reprodução/Facebook
Mensagem de mãe superprotetora foi o que salvou o pequeno William: a cadeirinha estava frouxa e o pai não tinha visto


David, que estava cuidando do filho, ficou irritado com a pressão da mulher, mas acabou atendendo seus pedidos. Mesmo sabendo que estava irritando o parceiro, Rebecca diz que insistia para saber como o filho estava de hora em hora. Em uma das mensagens, porém, o pai de William disse que estava indo para o mercado e a mãe superprotetora resolveu ir além.

“Pedi para ele arrumar a posição da cadeirinha do carro porque lembrei que as alças estavam muito frouxas e a que fica no peito não estava no lugar certo”, conta ela, que imaginou seu marido revirando os olhos ao ler a mensagem, mas a mandou mesmo assim. “Eu o conheço e sei que não deve ter gostado, mas ainda bem que fez o que pedi”, afirma.

Leia também: Filha fica presa em máquina de lavar e mãe desabafa sobre acidente

No post, que já conta com mais de 32 mil compartilhamentos, Rebecca diz que bastou 15 minutos para seu marido entender que ela estava certa. Um carro acabou fechando David no trânsito e ele não teve tempo de parar. Após a batida, o homem quebrou o pé em três partes e respondeu a mulher dizendo que o bebê estava bem, mas o carro teria de voltar guinchado.

A troca de mensagens entre o pai e a mãe superprotetora viralizou na web: o post já tem 32 mil compartilhamentos
Reprodução/Facebook
A troca de mensagens entre o pai e a mãe superprotetora viralizou na web: o post já tem 32 mil compartilhamentos


“O meu bebê estava tão seguro na cadeirinha que nem acordou de sua soneca”, conta a mãe, orgulhosa pela atitude. Após a experiência, ela diz que não tem mais vergonha de ser superprotetora e fica feliz de saber que, indiretamente, salvou a vida do garotinho.

“Não consigo nem imaginar o que poderia ter acontecido se meu marido não tivesse me ouvido. Acredito que o motivo pelo qual a minha família está sentada no sofá com um par de muletas, e não no hospital, é por causa da minha voz de mãe irritante“, publicou.

Repercussão surpreendeu mãe superprotetora

A mãe superprotetora é criticada pelo excesso de cuidado com o filho, mas não se importa com as críticas dos parentes
Reprodução/Facebook
A mãe superprotetora é criticada pelo excesso de cuidado com o filho, mas não se importa com as críticas dos parentes


O relato de Rebecca viralizou em pouco tempo. Surpresa, a mãe fez questão de agradecer as centenas de mensagens que recebeu em seu perfil e disse que, embora não pareça, ela não quis se gabar pela atitude. “Publiquei o que aconteceu com a minha família para que outras mães tomem cuidado com a cadeirinha de seus filhos”, garante.

Leia também: Bolsa de água quente faz criança parar em hospital, e mãe faz alerta sobre o uso

Ainda segundo a mãe superprotetora , as mensagens de pessoas desconhecidas a ajudaram a descobrir que o seguro do carro poderia cobrir os danos do acidente. A família, então, ganhou um novo banco e comprou uma cadeirinha mais segura para William. David, para a alegria de todos, não precisou fazer uma cirurgia e a história de Rebecca, em breve, será contada em uma ONG, com o objetivo de ajudar outros pais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.