Pesquisa entrevistou mil jovens entre 16 e 18 anos e mostrou que eles estão mais preocupados com os estudos, fazendo menos sexo e bebendo menos

Um estudo da organização BPAS (British Pregnancy Advisory Services), que administra clínicas de aborto e de saúde sexual no Reino Unido, mostrou que adolescentes estão preferindo passar mais tempo com suas famílias e nas redes sociais do que ter uma vida sexual .

Ter vida sexual ativa importa menos para os jovens do que passar tempo em família e se dedicar aos estudos
shutterstock
Ter vida sexual ativa importa menos para os jovens do que passar tempo em família e se dedicar aos estudos


Além da vida sexual , a pesquisa, que entrevistou mil adolescentes entre 16 e 18 anos, apontou para outros comportamentos dos jovens, como preocupação com os estudos e a tendência a consumir bebidas alcoólicas .

Segundo os pesquisadores, as interações sociais dos adolescentes atualmente, focadas na internet, em vez do contato presencial, influencia diretamente o comportamento dos jovens: dois terços dos entrevistados disseram nunca ter feito ter sexo, enquanto 24% revelou nunca ter bebido. Além disso, cerca de um em cada cinco deles disseram se encontrar com os amigos pessoalmente apenas uma vez por mês ou menos.

O estudo também sugere que jovens que se encontram com os amigos com mais frequência tendem a ser sexualmente mais ativos. Quase metade (46%) dos adolescentes que veem os amigos quatro vezes por semana disseram já ter feito sexo. Comparativamente, daqueles que disseram se encontrar com os amigos apenas um vez por mês ou menos, apenas 29% já fizeram sexo. A pesquisa também registrou que adolescentes que socializam com frequência tendem a se relacionar sexualmente com mais de um parceiro.

Mas se engana quem pensa que as redes sociais são as “culpadas” pelos jovens fazerem menos sexo. O levantamento da BPAS também indicou que um terço dos entrevistados encaram o tempo em família como o mais importante, enquanto que 27% disseram que passar tempo com os amigos é o mais importante.

Os estudos e a preocupação com a educação também está tendo uma importância maior na vida dos adolescentes . Ao serem perguntados sobre aspectos da vida que consideram como prioridade, 82% classificou tirar boas notas e ter sucesso na carreira que escolheram como tal. Mas, ao mesmo tempo, 67% também classificou passar tempo com os amigos como prioridade.

Conclusões de uma vida sexual menos ativa entre jovens

De acordo com a BPAS, o aumento nas interações online entre os jovens tem seu lado positivo: a diminuição da gravidez entre adolescentes. Segundo o Escritório de Estatísticas Nacionais do Reino Unido, de 2015 para 2016 diminuiu em 11% as gestações entre mulheres com menos de 18 anos.

“Menos interação presencial entre jovens diminui as oportunidades de interação sexual que poderiam resultar em uma gravidez”, diz o relatório da BPAS.

A chefe de pesquisa da organização, Katherine O’Brien, ponderou sobre os resultados em entrevista ao jornal “The Independent”, afirmando que eles mostram que os jovens de atualmente são mais conscientes dos desafios que vão enfrentar profissionalmente e, por isso, estão tão determinados a se dedicar à própria formação. Para ela, também são pessoas que aproveitam passar tempo tanto com a família, quanto com os amigos.

Eles parecem muito mais responsáveis e maduros , principalmente no que diz respeito à vida sexual e consumo de bebidas alcoólicas. Acreditamos que os jovens estão tendo escolhas diferentes sobre a forma como vivem suas vidas”, afirma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.