Tamanho do texto

A mãe da garotinha de oito anos publicou fotos em que a filha aparece chorando após ter seu cabelo cortado e alisado pela mulher do pai

Uma mãe de Governador Valadares, município de Minas Gerais, usou as redes sociais nesta segunda-feira (02) para contar que está profundamente chateada com a mulher de seu ex. No post, a mineira relata que a filha de oito anos passou o fim de semana na casa do pai e voltou abalada, após a madrasta cortar e alisar o cabelo dela.

Leia também: 22 comentários que mulheres com cabelo cacheado não aguentam mais

No post que viralizou, a mãe compartilha uma sequência de fotos da garotinha de oito anos chorando após alisar o cabelo
Reprodução/Facebook
No post que viralizou, a mãe compartilha uma sequência de fotos da garotinha de oito anos chorando após alisar o cabelo


“Recebi um telefonema do pai comunicando que a mulher dele cortou o cabelo da Luana (nome fictício) sem a minha permissão, e que foi só as pontinhas. Oi? Pontinhas? Ela cortou o cabelo dela mais do que a metade e alisou. Quando ela molhar vai encolher mais ainda”, disparou a mulher, revoltada com a atitude da moça que, segundo ela, nem chegou a comentar que pensava em cortar ou alisar o cabelo de sua filha.

Uma semana antes do ocorrido, a mãe da garotinha conta que ouviu a madrasta da pequena pedir para ela prender o cabelo, enquanto fazia uma chamada de vídeo. Na ocasião, a mãe já havia se irritado, mas respirou fundo e “ficou na dela” para não bancar a chata. Nas redes sociais, a mulher chegou a fazer alguns posts com indiretas sobre o assunto e até afirmou que sua filha é uma “princesa” e os seus cachos representam a sua “coroa”, mas não adiantou.

Responsável por administrar as redes sociais da herdeira, que já contam com mais de 80 mil seguidores, a mãe também afirma que ficou surpresa com a atitude da madrasta de sua filha porque lavou e prendeu o cabelo da menina antes de levá-la para a casa do pai, até mesmo para evitar que alguém tivesse “trabalho” para pentear as madeixas da pequena.

A mãe da criança contou que nem conseguiu dormir direito ao ver a filha com a autoestima tão baixa após o corte
Reprodução/Instagram
A mãe da criança contou que nem conseguiu dormir direito ao ver a filha com a autoestima tão baixa após o corte


“Cabelo cresce, porém é direito dela se sentir bem com a sua identidade, suas raízes, sua história, e isso não pode ser violado por vaidade nenhuma, a menos que a mesma queira, e isso eu tenho a convicção de que ela não quis”, garantiu a mineira. Para ela, a filha chama a atenção por ser uma criança empoderada desde muito novinha e, por isso mesmo, detestou o corte.

Leia também: Exposição dos filhos nas redes sociais nem sempre é ruim, afirma especialista

No post, a mãe fez questão de publicar as fotos da menina chorando após alisar o cabelo e foi aconselhada por vários internautas a processar a madrasta da garota e procurar ajuda psicológica para a menina o quanto antes. O Delas , inclusive, entrou em contato com a família da criança, mas não teve resposta até a publicação desta matéria. 

Cortar e alisar o cabelo de alguém é crime?

Segundo o advogado Flavio Goldberg, o corte de cabelo não autorizado pode caracterizar crime de injúria ou lesão corporal leve e, no caso dessa garotinha, é um crime que fica debaixo do aspecto geral do racismo, que é capitulado no código penal brasileiro.

“O nosso corpo é o instituto da nossa individualidade. A mãe e o pai têm o pátrio poder e a madrasta não. Só quem tem a guarda é quem tem esse direito e, ainda assim, é evidente que se uma mãe cortar o cabelo de um filho de forma punitiva, ela pode perder a guarda porque é um atentado à integridade do menor, o que chamamos de injúria real”, explica o especialista.

Para ele, essa mãe deve, sim, entrar com a abertura de um inquérito criminal contra a madrasta da garota, para que essa criança se sinta protegida. O psicólogo Jacob Pinheiro Goldberg também salienta que, se ninguém fizer nada, a criança poderá crescer com o trauma de vulnerabilidade, achando que a aparência dela perturba e é desagradável para as pessoas.

“Com certeza essa menina precisa fazer um tratamento psicoterápico. De qualquer maneira, o que tem que ficar claro é que não devemos minimizar a questão. Ela sofreu um tipo de bullying e rejeição”, avalia o médico, que defende o debate, mas acredita que a mãe também errou ao expor o caso com as fotos da filha na internet.

Leia também: Cabelo cacheado: qual é o meu tipo de cacho e como cuidar dos fios?

Segundo ele, a menor passou por uma situação vexatória e casos envolvendo crianças ficam sob segredo de Justiça, sem que ninguém possa ter acesso ao processo. Essa situação, portanto, deve servir de lição para outros pais e responsáveis, pois cortar e alisar o cabelo de uma criança pode causar danos irreversíveis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.