Desiree Buhrow-Olson, uma jovem mãe norte-americana de apenas 21 anos, e seu parceiro, Tom Gerhke, passaram por uma experiência terrível: perderam seus filhos trigêmeos , uma ainda no útero e os outros dois em parto prematuro. Mesmo após um momento tão triste e traumático, Desiree decidiu postar fotos de seus bebês e acabou comovendo as redes.

Leia também: Conheça 15 mitos e verdades sobre bebês prematuros

undefined
Reprodução
Inicialmente trigêmeos, um dos bebês morreu ainda no útero, os outros dois não sobreviveram ao parto prematuro


Desiree, que namora Tom há pouco mais de um ano e meio, contou ao “Metro UK” que a gravidez, descoberta em janeiro, foi inesperada, mas que ela ficou bastante empolgada, especialmente ao saber que teria trigêmeos. Entretanto, as complicações começaram quando ela descobriu que tinha um cisto grande em um dos ovários e que, antes de ser removido, provocou a morte de um dos bebês ainda dentro do útero. Somado a isso, Desiree acabou entrando em trabalho de parto prematuro , com os filhos tendo apenas 20 semanas. O fato de ainda serem muito prematuros impediu que sobrevivessem.

“Nós chamamos a primeira dos trigêmeos de Madeline e foi difícil aceitar que ela tinha morrido. Foi difícil de ouvir, mas ficamos agradecidos que os outros dois bebês estavam bem”, conta. Em maio, porém, Desiree sentiu um vazamento de líquido. Incialmente ela pensou que fosse apenas urina, mas alguns dias depois, fortes cólicas surgiram. Ela foi fazer exames, e estes revelaram que a bolsa de uma das crianças havia perfurado e estava vazando.

“Os médicos disseram que a bebê poderia sobreviver, mas eles não sabiam dizer. Eu fiquei com o coração partido. Chorei tanto. Estava em negação”, relembra.

Leia também: 5 partos em lugares e momentos mais que inusitados: 2018 já é o ano dos sustos

No dia seguinte, Desiree entrou em trabalho de parto para dar à luz à filha, cuja bolsa de água havia se rompido, que chamou de Natalie. A bebê já nasceu morta. “Eu comecei a gritar simplesmente porque sabia que ela não tinha sobrevivido. Eu a senti escorregar para fora e soube. O médico veio depois e confirmou”.

Alguns minutos depois, Desiree deu à luz a seu filho, Mason, também prematuro - o que o impediu de viver mais do que apenas algumas horas.

Tom, o pai, não havia acompanhado os partos por obrigações no trabalho. Desiree conta que ele chegou no hospital socando as paredes e chorando. “Ele me disse que se sentia rasgado. Ele estava com o coração partido. Nunca vi tanta dor nos olhou e na voz dele. Me lembro que quando segurei os bebês fiquei pedindo para que fosse só um pesadelo. Pedia para acordar e ainda estar grávida.”

Fotos tiradas após o parto prematuro comovem

Quando ainda estava no hospital, Desiree e Tom foram visitados por um fotógrafo voluntário que se ofereceu para fazer um ensaio das crianças. Para a jovem mãe, postar as fotos foi a forma que ela encontrou para lidar com o luto - e a iniciativa comoveu as redes.

“Eu amo os meus bebês e tanta gente se importou com eles. Eu não queria que essas pessoas não pudessem ver os netos, sobrinho, sobrinhas e primos, por isso postei as fotos. Antes eu até escrevi no meu Facebook que ia fazê-lo e que se alguém não quisesse ver, era para me avisar, mas ninguém o fez. É um tipo de encerramento para todo o mundo”, diz ela.

Leia também: Casas de parto são opção apenas para gestantes de baixo risco; entenda

Os médicos não sabem o que provocou o parto prematuro dos bebês. Agora Desiree afirma que considera voltar a engravidar, mas precisa lidar com seu luto primeiro e dar tempo para seu corpo se recuperar, até para não correr o risco de passar por outra experiência semelhante. “O que quer que aconteça daqui para frente, nunca vou me esquecer de Madeline, Natalie e Mason”.

    Leia tudo sobre: gravidez

    Veja Também

      Mostrar mais