Tamanho do texto

Lucy nasceu com um problema que prejudicou sua capacidade de mamar e a fez perder peso. Agora sua mãe, Jordan Talley, busca alertar outras mães

A amamentação é extremamente importante para os bebês, sendo sua única fonte de alimento durante os primeiros seis meses de vida. Jordan Talley enfrentou problemas com a amamentação de sua filha recém-nascida , Lucy, que acabou diminuindo perigosamente de peso. Ela compartilhou sua história para alertar outras mães.

Leia também: 10 fatos que assustam os pais de bebês recém-nascidos, mas são normais

Com duas semanas de vida, a recém-nascida pesava 2,5kg - meio quilo a menos do que pesava quando nasceu
Reprodução
Com duas semanas de vida, a recém-nascida pesava 2,5kg - meio quilo a menos do que pesava quando nasceu


Em texto no site “Love What Matters”, Jordan, que é fotógrafa, contou a história completa, explicando a perda de peso dramática de quando a pequena Lucy era recém-nascida .

“Ela foi amamentada assim que nasceu. Me lembro que quando ela foi para o meu peito pela primeira vez, ela mamou durante uma hora sem parar - ou pelo menos era isso que parecia, porque a cabeça e mandíbula dela se moviam”, escreveu a mãe.

Conforme os dias foram passando, porém, ela foi sentindo cada vez mais dor ao amamentar a filha que, por sua vez, pedia para mamar com muita frequência, “tinha noites que ela acordava de meia em meia hora para mamar, mas pensei que fosse normal”, fora que ela não ganhava peso. Jordan também sentia dores durante o processo, mas achava que era normal e, após ir ao hospital para consultar um especialista em lactação, foi informada de que o único problema era que a pega de sua filha estava frouxa e, por isso, a machuvava.

Leia também: Em caso raro, bebê nasce com dois dentes na Inglaterra e choca os pais

Ela, então, se esforçou para consertar a pega da filha e até mudou sua alimentação, pensando que não estava produzindo leite o suficiente, o que impedia Lucy de ganhar peso. Mas não funcionou. Com duas semanas de vida, a recém-nascida estava pesando cerca de 2,5kg - ela havia nascido com pouco mais de 3kg.

O motivo

Comparação de Lucy, antes de depois de realizar o procedimento na boca que a impedia de mamar
Reprodução
Comparação de Lucy, antes de depois de realizar o procedimento na boca que a impedia de mamar


Jordan não entendia o que estava acontecendo. Mesmo se consultando com profissionais, nenhum conseguia dizer o que havia de errado, mas a alertavam que se a filha não ganhasse peso em breve, ela teria que tomar suplementos.

Não satisfeita e pensando que o problema estava em seu leite, a mãe se consultou com outra especialista em lactação e uma doula. Foi quando as duas perceberam que a pequena Lucy tinha anquiloglossia, um freio que prende a ponta da língua à base da boca impedindo que ela encostasse a língua no céu da boca - essencial para que ela conseguisse mamar corretamente. Então o que acontecia era que Lucy apenas se cansava durante a amamentação, nunca conseguindo ingerir leite o suficiente para ganhar peso.

Sabendo disse, foi feito um procedimento simples na bebê para retirar o freio. Como consequência, ela engordou um quilo em apenas 12 dias e continuou a engordar, reganhando o aspecto saudável.

“Fez toda a diferença do mundo. Não machuca mais amamentar e ela se alimenta bem agora”, escreveu a fotógrafa que agora compartilha sua história para alertar outras mães e encorajá-las a buscar ajuda profissional, indo atrás de uma segunda opinião, se necessário, em vez de desistir da amamentação logo de cara quando surgir algum problema.

Leia também: Aleitamento materno: mães compartilham relatos sobre a amamentação

“Meu objetivo é consicentizar outras mulheres, porque freios na boca de bebês, como a da minha filha recém-nascida , são muito comuns, mas frequentemente passam despercebidos por alguns pediatras, pois eles não são treinados para identificar essas coisas”, escreveu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.