Tamanho do texto

A doula Katie Vigo ficou chateada quando viu que uma foto de parto normal tinha sido considerada ofensiva pelo Instagram e criou um abaixo-assinado

Uma novidade para quem adora postar fotos de todos os momentos nas redes sociais: desde sábado (12), o Instagram e o Facebook, empresas do programador Mark Zuckerberg, deixaram de banir perfis que publicam fotos de parto normal. A mudança ocorreu após uma petição online, que reuniu mais de 23 mil assinaturas.

Leia também: Fotógrafa compartilha foto incrível de parto e é punida no Facebook

Fotógrafa belga Marijke Thoen, responsável pela foto de parto acima, foi uma das profissionais a ser punida nas redes
Instagram/marijkethoen_birthphotography/Reprodução
Fotógrafa belga Marijke Thoen, responsável pela foto de parto acima, foi uma das profissionais a ser punida nas redes


O abaixo-assinado foi criado depois que a norte-americana Lauren Archer teve uma foto de seu parto publicada no Instagram da doula Katie Vigos, em abril do ano passado. Na época, a imagem recebeu várias denúncias e foi considerada como um conteúdo ofensivo, o que deixou a mãe e a doula extremamente chateadas.

Lauren, em entrevista ao Buzzfeed, chegou a dizer que não entendia a exclusão da foto das redes sociais, já que tantas mulheres tinham curiosidade de saber como era o momento do parto e precisavam conhecer melhor o corpo feminino. Katie também demonstrou revolta ao falar com “The Guardian” e lutou para que essa situação mudasse.

“Esta censura envia uma mensagem para as mulheres de que o seu poder para dar à luz é ofensivo e obsceno, e deve ser escondido. Como mãe ou gestante, ver fotos cruas da força de seu corpo é extremamente poderoso. Nascimento é assustador, mas só porque a nossa sociedade o encobriu em mistério e vergonha. Permitir fotos sem censura afasta essa cortina”, declarou à época.

Leia também: Foto de parto viraliza nas redes sociais por detalhe inesperado em bebê

O esforço das duas surtiu efeito em dose dupla. Katie até contou nesta segunda-feira (14), em seu Instagram, que quando resolveu organizar a petição pensava que estava lutando apenas contra as regras da rede social que usa para postar fotos, mas logo descobriu que o Facebook também seria afetado, já que pertence ao mesmo dono. “Isso é realmente revolucionário, uma notícia que muda o mundo!”, comemorou. 

Gratidão

Important: while the policy change is official, it is possible that some censorship may still occur as FB/IG continues to modify its recognition technology— and train its vast global network of employees— to allow #uncensoredbirth content to remain on their platforms. This was something emphasized to me during several calls with FB/IG over the last few months. They don’t normally announce policy changes like this so soon (even though the policy officially changed as of January 2018), because it is quite an extensive and lengthy process to implement this type of change. Newer birth accounts and pages with a smaller following are at increased risk of censorship during this phase. I am actively working with FB/IG to come up with a process of protecting and restoring content and pages that have been censored in error. Your patience and continued advocacy is much appreciated! I will update you with any new information I receive! THIS IS HAPPENING, and together we’ll support our community through this transition just like we support each other through the transition of birth, motherhood, and beyond. It’s time to collectively birth a new era of the internet! __ Love, @katievigos __ Photo @midwifeangelina __ #IGallowuncensoredbirth #empoweredbirthproject #waterbirth

Uma publicação compartilhada por By @katievigos RN, Doula (@empoweredbirthproject) em


No texto que fez para comemorar a vitória, a doula agradeceu o trabalho dos funcionários do Instagram e do Facebook, que ouviram suas queixas, e todos que participaram do abaixo-assinado e mostraram o quanto é importante mostrar que não há nada de sujo ou errado no corpo de uma mulher dando à luz.

“Juntos, parimos uma grande mudança na consciência coletiva, e agora estamos livres para compartilhar o nascimento sem censura em sua plena expressão de glória em duas das maiores plataformas online do mundo”, escreveu a doula, que não consegue pensar em uma forma melhor de comemorar o Dia das Mães, que foi celebrado no domingo.

Leia também: "É ver o milagre da vida diante dos olhos": como é ser uma fotógrafa de parto

Orgulhosa após a conquista, Katie aproveitou o post para alertar os seguidores que quiserem publicar fotos do parto nos próximos dias. Como a mudança envolve muitas ferramentas, ela acredita que pode haver alguma “censura acidental” e ela ficará de olho nisso, mas também é preciso ter paciência.

    Leia tudo sobre: Facebook Instagram
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.