Tamanho do texto

A inglesa Helen Johnson congelou óvulos quando descobriu que estava com câncer no colo do útero, aos 28 anos. Para realizar o sonho de ter um herdeiro, ela e o marido recorrerão, em breve, a uma "mãe de aluguel"

Com apenas 28 anos, Helen Johnson encontrou um caroço no seio e descobriu que era um câncer. O que mais doeu, segundo ela, foi ouvir dos médicos que a doença batia à porta pela segunda vez. Um ano antes, a moça já havia sido diagnosticada com câncer no colo do útero e o que mais temia era não poder ter filhos.

Leia também:  Jovem com câncer terminal tem casamento dos sonhos financiado por estranhos

Noiva de Tom Miller, Helen  incentiva mulheres a procurarem um médico e fazerem exames de prevenção para o câncer
Reprodução/Facebook
Noiva de Tom Miller, Helen incentiva mulheres a procurarem um médico e fazerem exames de prevenção para o câncer


“Eu sempre quis ser mãe , não poderia desistir disso por causa do câncer ”, falou em entrevista ao “Daily Mail”. No ano que vem, Helen casará com o gerente de projetos Tom Miller, de 26 anos, e sabe que será um pouco mais complicado ter um herdeiro.

Leia também: Câncer de mama afeta a sexualidade durante e após o tratamento; entenda

“Me sinto culpada por fazer o Tom passar por isso, mas ele sempre foi favorável, dizendo que teríamos uma ótima vida juntos”, contou ela, que assim que descobriu o câncer, congelou seus óvulos e encontrou na “mãe de aluguel” a solução ideal para ter um bebê.

Procurar tratamento cedo foi o que livrou Helen do câncer

A jovem, que sempre sonhou em ser mãe, congelou seus óvulos assim que descobriu que estava com câncer no útero
Reprodução/Facebook
A jovem, que sempre sonhou em ser mãe, congelou seus óvulos assim que descobriu que estava com câncer no útero


Livre da doença após sua última sessão de radioterapia, feita no mês passado, a mulher de Tom está focada no casamento e na importância de conscientizar os outras mulheres a fazerem exames regularmente para descobrirem o câncer cedo.

“Eu aconselharia as pessoas a sempre procurarem um médico, pois isso pode salvar vidas. Se eu não tivesse sido tratada rapidamente, meu futuro seria bem diferente”, argumentou Helen, que acredita que não dá para ter vergonha na hora de conversar com um especialista.

Leia também: Após ter câncer de mama, jovem exibe cicatrizes para ajudar outras mulheres

Quando descobriu o câncer no útero, a moça disse que estava com um corrimento vaginal muito forte e não minimizou na hora de contar ao médico. “Eu fui muito franca com ele sobre a cor e tudo. Não me senti envergonhada, pois sabia que era isso que ele precisava saber para descobrir o que havia de errado comigo”, disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.