Tamanho do texto

Doula Samantha Birch oferece serviços de criação de apanhadores de sonhos e de encapsulamento da placenta para consumo a mulheres na Austrália

Pode parecer um pouco nojento, mas, segundo a australiana Samantha Birch, não são poucas as mulheres que buscam seus serviços de encapsulamento de placenta e reaproveitamento de cordão umbilical. Aliás, a mais recente tendência entre as novas mamães, clientes de Samantha, é pedir que seja feito um apanhador de sonhos com o cordão umbilical do bebê.

Leia também: Manter cordão umbilical dias após o parto pode ser prejudicial ao bebê

Apanhadores de sonhos feitos com o cordão umbilical dos bebês por Samantha Birch
Divulgação
Apanhadores de sonhos feitos com o cordão umbilical dos bebês por Samantha Birch




Para o apanhador de sonhos especial, Samantha, que também é mãe de três crianças, usa o cordão umbilical seco, fornecido pela mãe, para trançar os barbantes do apanhador. O resultado é realmente incrível, mas pode gerar estranhamento em algumas pessoas.

Outros serviços fornecidos pela doula

Além de oferecer outras formas de preservar o cordão, o principal trabalho de Samantha é encapsular a placenta para consumo. Entre as opções, há a placenta encapsulada fresca ou desidratada e também tintura, bálsamo ou essência de placenta. Ela ainda oferta seus serviços como doula e ensina mulheres a reaproveitar suas próprias placentas.

“Eu acredito que o parto é um processo importante, tanto na vida da mãe quanto na da criança. Acho importante a mulher se informar sobre as opções disponíveis para se preparar para o momento de dar à luz e, além disso, para a maternidade como um todo”, escreve Samantha em seu site, Under The Birch Tree, por onde mulheres australianas podem contratar seus serviços.

Leia também:Síndrome rara de garota é usada para promover o aborto, e mãe se vinga

Ela defende o consumo da placenta como uma forma de readquirir os nutrientes perdidos durante o trabalho de parto. O órgão seria fonte de ferro e conteria hormônios importantes para o período pós-parto, ajudando na produção de leite e amenizando as alterações de humor típicas desse momento.

Samantha, entretanto, faz questão de ressaltar em seu site que, enquanto o consumo da placenta pode ser benéfico para a mãe, ele não atua como um preventivo nem como uma cura para a depressão pós-parto, uma condição que afeta algumas mulheres após dar à luz, provocando ansiedade, tristeza, irritabilidade, entre outros sintomas, e prejudica a capacidade da mulher de cuidar de seu bebê. Nestes casos, a australiana reforça a necessidade de se buscar ajuda médica especializada.

Existem mesmo benefícios em consumir a placenta?

Consumir a placenta não é exatamente novidade. No Brasil, Bela Gil é uma das principais personalidades a recomendar a prática: ela mesma a fez. Apesar disso, ainda não existe nenhum estudo que comprove, ou desminta, os benefícios de consumir o órgão.

Leia também: Mulher faz smoothie de placenta após parto, e marido, filho e até mãe provam 

Por outro lado, já se sabe que é vantajoso armazenar o cordão umbilical - ainda que não em forma de apanhador de sonhos, mas, sim, congelado, visto que o sangue presente no órgão seria rico em células-tronco que podem ajudar o bebê, caso ele venha a precisar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.