Tamanho do texto

A fotógrafa Tammy Karin postou o relato da mãe em seu site oficial e compartilhou as imagens do momento em sua página no Facebook

Trabalhar como fotógrafa de parto costuma render histórias surpreendentes e emocionantes, como a dessa mãe dos Estados Unidos. Na semana passada, a fotógrafa Tammy Karin usou seu Facebook e seu site oficial para mostrar o nascimento de Max, que aconteceu em 24 de julho do ano passado. O pequeno teve pressa de vir ao mundo e nasceu no corredor do hospital, antes mesmo da internação da mãe, Jessica Wright Hogan.  

Leia tudo sobre gravidez

Fotógrafa Tammy Karin fez os registros do parto e compartilhou as imagens em seu Facebook e site oficial, elogiando todo o trabalho da equipe do hospital norte-americano
Reprodução/www.littleleapling.com/Max/
Fotógrafa Tammy Karin fez os registros do parto e compartilhou as imagens em seu Facebook e site oficial, elogiando todo o trabalho da equipe do hospital norte-americano


Na postagem, Tammy ressalta o trabalho da enfermeira do hospital para que todo ocorresse da melhor maneira no parto , mesmo naquela situação inesperada. Já no site, a fotógrafa abre espaço para que a mãe conte todos os detalhes, das contrações até a chegada do bebê. Veja como foi. 

Primeiras contrações e desejo por um parto sem intervenções

No relato, Jessica, que já é mãe é cinco meninas, fala que a gravidez de Max teve alguns imprevistos, mas estava sendo muito mais tranquila que as anteriores até as 37 semanas. No dia 19 julho ela diz que começou a sentir contrações e foi para o hospital com a família às 5h da manhã. Eram contrações a cada três minuto e ela logo apresentou 4 cm de dilatação. "Pensávamos que estávamos nos primeiros estágios para dar boas-vindas ao último bebê da nossa família", descreve a mãe. 

Ainda não era o momento. Jessica conta que passou quatro horas em trabalho em uma banheira e, então, decidiu ir embora já que as contrações haviam se espaçado. Ela diz que queria seguir com os planos de ter um parto natural, sem intervenções. 

O relato segue e a mãe escreve que voltou para casa, os dias passaram, ela fez caminhadas, brincou com as filhas na piscina e sentia contrações à noite, que prejudicavam o sono. Mesmo assim, ainda não sentia que era a hora do nascimento. "Estava começando a perder a fé na minha habilidade de saber quando estava em trabalho de parto, estava perdendo a fé de que meu corpo sabia o que estava fazendo". 

Leia também: Mãe conta como foi ter o filho sozinha no banheiro de casa

De repente, uma contração forte e bolsa estourada

Na noite de domingo, dia 23, Jéssica seguia preocupada com as contrações, mas decidiu tentar dormir. "Afinal, era meu sexo bebê, eu deveria saber a hora certa, não?". Na madrugada, ela conta que sentiu uma contração longa e estranha, que não era incrivelmente desconfortável, mas que a fez acordar o marido e dizer que era, de fato, a hora do nascimento. 

Entretanto, a bolsa logo estourou. "Corri para o banheiro e pensei: oh meu Deus, teremos nosso bebê em casa'". Jessica fala que o marido a convenceu que havia tempo e eles partiram para o hospital, às pressas. No caminho, a mãe conseguiu avisar familiares e a fotógrafa sobre o rompimento da bolsa. Enquanto isso, seguia com as contrações e sabia que hora estava chegando. "Podia sentir meu bebê descendo a cada contração", detalha Jessica. 

Chegou a hora!

No texto, a mãe elogia o marido, que a ajudou o tempo todo, e agradece por não ter trânsito às 3h da manhã. Também fala que Tammy, a fotógrafa, chegou a tempo e foi importante no nascimento de Max. Enquanto o marido pedia ajuda no hospital, Tammy ajudava Jessica a sair do carro, que, em suas palavras, só pensava que teria o bebê ali mesmo, no banco de passageiro de seu carro. 

Ela conseguiu entrar no hospital, mas não deu tempo para mais nada. "Tammy gritava que eu teria o bebê ali no chão. Comecei a tirar as minhas calças porque podia sentir meu corpo empurrando a cabeça de meu filho para fora. Eu abaixei e pude sentir a cabeça dele na minha mão", detalha Jessica. 

"Olhei para meu marido e gritei: 'Travis, pegue ele!'. Sem hesitar, ele correu e senti meu corpo involuntariamente empurrando a cabeça e o resto para fora. Então as enfermeiras chegaram correndo. A visão embaçou nesse momento e me ajudaram a deitar no chão no momento que meu corpo começou a empurrar de novo", continua. 

Leia também: "Escondi a gravidez, fui ao banheiro de casa e fiz meu parto sozinha"

Com a ajuda do marido e dos enfermeiros, Jessica deu à luz Max ali no corredor, 25 minutos depois de a bolsa ter estourado em casa. 


No Facebook, Tammy também compartilhou um vídeo do nascimento: 


Apesar de todo o susto, a mãe elogia a atuações dos enfermeiros e, principalmente, a parceria do marido. "Foi o meu parto mais maluco, mas também o mais perfeito. Não foi nada do que eu havia planejado, mas acabou sendo sem intervenções, com um bebê saudável e extremo apoio de todas as partes. Foi lindo e para sempre vou amar cada memória disso", conclui Jessica. 


    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.