Tamanho do texto

Segundo pesquisa, os filhos ajudam a manter a mente dos pais sempre ativa

Gerar e criar uma criança significa mais trabalho, gastos, cuidado e atenção redobrada. No entanto, mais amor e felicidade também começam a fazer parte da vida dos pais. Para completar, um novo estudo descobriu mais uma vantagem: a expectativa de vida é maior para pessoas que têm filhos. 

Leia também: Sexo na terceira idade é possível e elas fazem!

Ter filhos pode aumentar em até dois anos a expectativa de vida
Shuttersock
Ter filhos pode aumentar em até dois anos a expectativa de vida

O estudo foi desenvolvido pelo Instituto Karolinska e a Universidade de Estocolmo, na Suécia, e publicado no "Journal of Epidemiology & Community Health". De acordo com os pesquisadores, os filhos contribuem para o aumento da expectativa de vida na medida em que ajudam a manter a mente dos pais sempre ativa. 

Leia também: É possível ser independente na terceira idade?

O estudo

Os pesquisadores se concentraram em analisar a longevidade e paternidade principalmente de pessoas com mais de 80 anos. Eles identificaram que homens e mulheres que têm pelo menos um filho apresentam um risco de morte menor em relação a aqueles que não são pais ou mães.

Os resultados apontam que as mulheres sem filhos vivem uma média de 83,1 anos, enquanto as mulheres que são mães vivem cerca 84,6 anos. No caso dos homens, a diferença é mais forte: para os pais, a expectativa é de 80,2 anos de vida, e para aqueles que não tem filhos, a média é de 78,4 anos. 

A explicação para isso não é biológica. Além dos filhos manterem a mente dos pais ativa, os cientistas acreditam que o aumento dos anos de vida está relacionado a uma rede de apoio amorosa construída com eles. De acordo com os especialistas, isso é crucial na vida adulta. 

Leia também: Cuidados de pele, cabelo e maquiagem para a terceira idade

Metodologia

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores reuniram dados de mais de 700 mil homens e mulheres da Suécia que nasceram entre os anos de 1911 e 1925. A partir disso, foi observado quando essas pessoas morreram e se tiveram ou não filhos. Se sim, dados referentes aos filhos também foram coletados.

No primeiro momento, eles identificaram que independentemente das pessoas serem pais ou não, o risco de morte aumenta com a idade. Então, eles analisaram fatores influentes, como os anos de estudo, por exemplo, e perceberam que a expectativa de vida era maior para aqueles que tiveram filhos. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.