Tamanho do texto

Alimentos sólidos podem ser introduzidos na dieta da criança a partir dos seis meses de vida, mas como fazer isso da melhor forma? Veja as dicas

A transição do leite materno para os alimentos sólidos é um momento que requer muita paciência e cuidado dos pais, já as refeições devem ser preparadas de forma adequada para a construção do paladar da criança. Confira dicas de como fazer isso da melhor forma.

Leia também: A alimentação correta das crianças de acordo com a faixa etária

Alimentos sólidos devem começar a ser introduzidos na dieta dos pequenos após os seis meses de idade
Shuttersock
Alimentos sólidos devem começar a ser introduzidos na dieta dos pequenos após os seis meses de idade


Tempo certo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade do bebê. Por isso, não há necessidade de oferecer para os bebês alimentos para complementar o leite materno, afinal, ele é suficiente para suprir todas as necessidades nutricionais da criança.

A partir do sexto mês, recomenda-se introduzir outras comidas, como sucos de fruta pela manhã e papinhas de fruta no período da tarde. “Eles devem ser oferecidos no intervalo das mamadas e a quantidade deve ser aumentada gradativamente com o passar do tempo", aconselha Cid Pinheiro, pediatra do Hospital São Luiz Morumbi.

Começar pelas frutas serve como um preparatório para a papinha salgada, que deve ser oferecida algumas semanas depois. 

Leia mais: Alimentação infantil: fórmulas ou compostos lácteos? Entenda as diferenças

Consistência

O pediatra explica que a consistência da comida deve ser adequada ao nascimento da dentição da criança. Assim, ela consegue cortar e esmagar aquilo que for sólido, evitando engasgos e sufocamento. É importante que alguns ingredientes sejam evitados pelo máximo de tempo possível, como é o caso do açúcar. “Doces não são recomendados às crianças, já que podem levar à obesidade na infância e, posteriormente, trazer complicações tais quais diabetes e hipertensão arterial na fase adulta”, diz Cid. 

Aparência

Para o especialista, a refeição deve ser atrativa para as crianças. Por isso, aposte na variação de sabores, cores e formas no prato. Isso vai deixar o momento da refeição mais prazeroso. Além disso, as crianças devem receber todo tipo de alimento independentemente da preferência da família.

Leia mais: É hora de seu filho deixar a mamadeira; como fazer isso?

Paciência

Paciência é uma das chaves para esse processo. Caso a criança pareça não gostar de um ingrediente específico, não se preocupe! Novos alimentos precisam ser introduzidos e os pais não devem considerar um evento de grande importância quando a criança recusá-lo. A rejeição de uma determinada comida só será considerada significativa após a oferta de, pelo menos, dez vezes”, explica o pediatra.

    Leia tudo sobre: dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.