Tamanho do texto

Engravidar após os 30 anos é cada vez mais comum entre as mulheres brasileiras. Veja as consequências e cuidados ao tomar essa decisão

A gestação é um período de muitas transformações na vida da mulher. São desde alterações hormonais que acontecem no corpo até mudanças financeiras na família. Por isso, algumas mulheres preferem  adiar a maternidade para depois dos 30 ou 35 anos, assim é possível  planejar o momento com o cuidado necessário. 

Ser mãe depois do 30 anos representa racionalização da maternidade

gestação
Shuttersock
gestação

Recentemente, um relatório do IBGE indicou que esse comportamento é tendência entre as mulheres brasileiras. Os dados apontam que especialmente nas regiões Sul e Sudeste elas tendem a ter filhos mais velhas, entre 30 e 39 anos de idade. Por exemplo, em São Paulo, cerca de 30% das mães passam pela gestação nessa faixa etária em 2015. 

Há uma mudança comportamental na sociedade que reflete nesses dados. “A mulher moderna está inserida no mercado de trabalho, cuida da casa e do corpo. Por isso, planeja ter filhos com mais idade", explica Claudia Padilla, especialista em medicina reprodutiva. 

Consequências e cuidados

Biologicamente, o período ideal para engravidar entre os 20 e 30 anos. “As mulheres nascem com um estoque predeterminado de óvulos que vão carregar ao longo da vida, e este vai sendo reduzido em quantidade e qualidade, à medida que a idade avança", diz Giuliano Bedoschi, médico especialista em reprodução humana.

Mitos e verdades sobre a fertilização

Por isso, entre as mulheres com mais de 30 anos, há uma dificuldade maior de ficar grávida. Então, a decisão de adiar a gestação deve ser sempre consciente e bem planejada. Nesse caso, é importante ter um acompanhamento médico e ginecológico.

Para as mulheres que optaram por adiar esse momento, alguns cuidados são necessários. Segundo a ginecologista Maria Elisa Noriler, as mulheres mais velhas terão mais chances de engravidar espontaneamente se adotarem um estilo de vida saudável, com exercícios físicos e alimentação balanceada. 

Para garantir a gravidez seja bem sucedida, Bedoschi aconselha que as mulheres congelem os óvulos. "Ela deve procurar uma clínica especializada para avaliar o seu potencial reprodutivo ou seja, sua reserva de óvulos", diz.

Após os 40

É importante ressaltar que as dificuldades para engravidar podem aumentar mais após os 40 anos. Além disso, nesse fase, os riscos de casos de aborto, má-formação do feto e síndrome de Down são maiores. Porém, isso não é uma regra geral. "Ações como fazer um bom pré-natal e seguir todos os cuidados recomendados durante a gestação podem resultar numa gravidez tranquila", orienta Maria Elisa.  

+ Gravidez aos 40 é cada vez mais comum

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.