Tamanho do texto

Analisar a faixa etária, os selos de qualidade, o formato e o material utilizado na fabricação dos brinquedos é fundamental para uma brincadeira ser segura

O que criança gosta mesmo é de brincar. Com a imaginação, eles conseguem transformar tudo em diversão. O problema é que nem todos os brinquedos que estão disponíveis para a venda são seguros para os pequenos. Os pais devem ficar atentos a algumas características dos brinquedos dos filhos para que a diversão não se torne algo perigoso.

Brincar pode ficar mais seguro se pais analizarem os brinquedos dos filhos
Reprodução/Daily Mail
Brincar pode ficar mais seguro se pais analizarem os brinquedos dos filhos



+ Qual a quantidade ideal de brinquedos para o meu filho?

O tipo de material utilizado, o fabricante, o tamanho do brinquedo e das peças que o compõe podem ser indícios que mostram se o objeto oferece risco na hora de brincar . Fora isso, também é importante deixar os brinquedos em um lugar de fácil acesso para a criança, assim não tem perigo dela tentar subir em estantes e armários e procurar em outros lugares que possam ter objetos perigosos, como facas e produtos tóxicos. Veja mais dicas para cuidar da segurança de seus filhos:

Materiais

Ao comprar um brinquedo, é necessário verificar se as tintas utilizadas para a fabricação são atóxicas, como é determinado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Brinquedos com pilha e bateria, ou que precisam ser ligados na tomada, podem ser perigosos. Se não forem fabricados corretamente, o risco de aquecer, estourar ou dar choques na criança é grande. O perigo aumenta quando esse tipo de objeto é pirateado, pois certamente o brinquedo não atende às normas de seguranças impostas pelo Inmetro.

Função do brinquedo

Ao oferecer um brinquedo à criança, os pais precisam verificar se aquele item está de acordo com a faixa etária do filho. É recomendado que se leia o manual de instruções para saber a finalidade e como funciona o brinquedo. Além da diversão, muitos desses objetos têm como objetivo estimular o aprendizado dos pequenos. Deixar explícito na embalagem para qual idade o brinquedo é uma norma que todos os fabricantes devem cumprir.

Os brinquedos que são considerados réplicas ou similares de armas de fogo são proibidos de serem vendidos de acordo com a Lei nº 9437, que instituiu o Sistema Nacional de Arma.

Formas

Brinquedos que tem tiras, correntes, pontas afiadas e peças pequenas também oferecem risco para as crianças. Os principais acidentes com brinquedos estão relacionados a engasgamento e quedas. Por isso, é necessário ficar atento se na embalagem consta o selo do Inmetro, que indica que o produto foi testado e aprovado.  

O que deixar longe

As crianças podem soltar a imaginação, mas os pais devem ficar atento às brincadeiras  e aos objetos que elas usam para se divertir. Por exemplo, é comum elas pegarem um controle remoto ou um pente para fingir que é um microfone, ou usarem tampas de panela para simular é o volante de um carro. Até aqui, tudo certo. Mas cuidado para que seu filho não pegue algum objeto com ponta ou de vidro para, eventualmente, não se machucar. 

Ter um adulto acompanhando as brincadeiras é fundamental para evitar grandes problemas, também é uma oportunidade dos pais se aproximarem dos filhos e caírem na diversão junto com eles . Os pequenos vão adorar brincar com os pais. 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.