Tamanho do texto

Lydia e Maya estavam conectadas pelo fígado e pelo tórax quando nasceram, prematuras de oito semanas

BBC

Médicos na Suíça dizem ter separado gêmeas siamesas com oito dias de idade, o que faz delas os mais jovens bebês separados com sucesso.

Lydia e Maya antes da separação: uma tinha pressão alta, por ter muito sangue em circulação
BBC
Lydia e Maya antes da separação: uma tinha pressão alta, por ter muito sangue em circulação


As gêmeas, nascidas em dezembro, estavam conectadas pelo fígado e pelo tórax.

A mídia suíça afirma que os médicos tinham originalmente planejado separá-las quando as meninas fossem mais velhas, mas a operação foi antecipada porque os bebês apresentaram complicações que representavam risco de morte.

Leia também: E se eliminássemos todos os mosquitos transmissores de doenças?

A operação realizada pelos médicos tinha 1% de chance de dar certo.

As gêmeas, chamadas Lydia e Maya, nasceram prematuras oito semanas antes do previsto no hospital Inselspital, em Berna, junto a um terceiro bebê, totalmente saudável.

As irmãs já separadas. Elas estão ganhando peso e estão sendo amamentadas
BBC
As irmãs já separadas. Elas estão ganhando peso e estão sendo amamentadas


O hospital afirmou que as gêmeas estavam "extensamente conectadas pelo fígado, mas tinham todos os (demais) órgãos vitais".

'Muito pequenas'
Elas pesavam juntas 2,2 kg. Uma das gêmeas tinha muito sangue - e pressão alta - e a outra não tinha sangue suficiente.

Um time de 13 médicos levou cinco horas para separar as meninas no dia 10 de dezembro.

Leia também: Brasília? Itaipu? Não. SUS é a maior obra da história do Brasil

"Jamais gêmeos tão pequenos foram separados antes com sucesso", disse o hospital.

"Estamos felizes porque crianças e famílias estão bem", disse o chefe de cirurgia pediátrica do hospital, Steffen Berger.

Leia também:  Filmes relembram vida de apresentadora que se matou ao vivo na TV

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.