Patrícia de Oliveira luta pela memória da chacina
Reprodução/Twitter/Anistia Internacional
Patrícia de Oliveira luta pela memória da chacina


No mês da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, a Anistia Internacional trouxe mulheres negras para anunciar projetos que promovem direitos humanos. Nesta sexta-feira (23), Patrícia de Oliveira foi a promovida. Ela faz parte do projeto 'Candelária Nunca Mais', que luta por memória e justiça contra a violência do Estado. 


Completando 28 anos da chacina da Candelária, quando policiais de um grupo de extermínio abriram fogo contra pessoas que dormiam na região da Igreja da Candelária, no Rio de Janeiro. Oito adolescentes entre 11 e 19 anos morreram na ação, quase todos negros. 

O movimento que Patrícia faz parte é composto majoritariamente por mulheres negras. "Quando a violência bate a nossa porta mais do que nunca, nós nos engajamos na luta por justiça, por memória e contra a violência de estado (...)", disse Patrícia. 

Nessa sexta-feira (23), às 16h, a Anistia Internacional promoverá uma série de tweets com a hashtag #CandeláriaNuncaMais, em apoio a mães e familiares das vítimas de violência policial. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários