Frances McDormand, Viola Davis e Carey Mulligan foram indicadas no Globo de Ouro
Divulgação
Frances McDormand, Viola Davis e Carey Mulligan foram indicadas no Globo de Ouro


A temporada de premiações chegou. Para os amantes de filmes e séries  é um dos momentos mais emocionantes do ano. Uma das cerimônias mais aguardadas é o Globo de Ouro, que teve seus indicados revelados na última quarta-feira (3). Entre os indicados não faltaram histórias protagonizadas por mulheres. O iG Delas destacou 7 deles que você precisa conhecer. Confira.




1- Nomadland

Nomadland fala sobre a Grande Recessão nos Estados Unidos do ponto de vista de uma mulher que mora em uma van
Divulgação
Nomadland fala sobre a Grande Recessão nos Estados Unidos do ponto de vista de uma mulher que mora em uma van


‘Nomadland’ conta a história de Fern (Frances McDormand), uma mulher que perdeu sua casa após a Grande Recessão de 2008. Ela decide viver em um trailer e, para sobreviver, faz pequenos trabalhos em diversos lugares. Ao descobrir que existem mais pessoas como ela, chamados de nômades, Fern decide começar uma jornada na Costa Oeste dos Estados Unidos em busca de autoconhecimento.

O fenômeno descrito em ‘Nomadland’ é real. Muitas pessoas perderam suas casas durante a recessão e passaram a viver dentro de seus carros. Parte do roteiro do filme é improvisado e traz pessoas reais para “atuar” como elas mesmas, falando sobre suas realidades. A atriz Frances McDormand foi indicada na categoria de Melhor Atriz de Drama.

2- Bela Vingança


‘Bela Vingança’ segue a linha de filmes como ‘Doce Vingança’ e ‘A Vingança de Jennifer’ ao retratar mulheres buscando vingança de homens abusadores. O longa conta a história de Cassandra (Carey Mulligan), uma mulher solitária que frequenta bares e finge estar bêbada. Ao ser levada para casa por homens que tentam violentá-la ou assediá-la, ela ensina a eles uma lição. A atuação de Mulligan rendeu a ela uma indicação para a categoria de Melhor Atriz de Drama.

3- A Voz Suprema do Blues

Viola Davis interpreta a egocêntrica, ambiciosa e independente cantora Ma Rainey em 'A Voz Suprema do Blues'
Divulgação
Viola Davis interpreta a egocêntrica, ambiciosa e independente cantora Ma Rainey em 'A Voz Suprema do Blues'


Você viu?

Adaptação de uma peça de teatro sobre a cantora de jazz Ma Rainey (Viola Davis), o longa inteiro se passa em uma tarde em que Ma e sua banda precisam gravar um disco novo. O encontro rende muitos desentendimentos devido ao ego e às escolhas de Ma. Por outro lado, ela é mostrada como uma mulher negra independente, ambiciosa e muito bem sucedida.

O filme aborda ainda a questão relativas ao racismo, tanto de formas sutis como em diálogos profundos e honestos. Viola Davis foi indicada como Melhor Atriz de Drama pelo papel como Ma. ‘A Voz Suprema do Blues’ foi o último filme gravado pelo ator Chadwick Boseman, que  faleceu em agosto do ano passado devido a um câncer. Ele recebeu uma indicação póstuma para Melhor Ator de Drama.

4- Pieces of a Woman

A atriz Vanessa Kirby interpretou por 25 minutos uma mulher em trabalho de parto em 'Pieces of a Woman'
Divulgação
A atriz Vanessa Kirby interpretou por 25 minutos uma mulher em trabalho de parto em 'Pieces of a Woman'


Os primeiros 25 minutos do longa mostram Vanessa Kirby, que foi indicada no Globo de Ouro pelo papel, em uma encenação muito convincente de um parto doloroso, desconfortável e que está prestes a dar errado. Após perder o bebê, Martha (Kirby), precisa lidar com o luto, com seu casamento em ruínas e com a insistência de sua família em processar a doula pela morte de sua filha. É uma história sobre perda, mas também sobre o processo de aceitação e de seguir em frente.

5- Emma

Anya Taylor-Joy dá vida à personagem criada por Jane Austen
Divulgação
Anya Taylor-Joy dá vida à personagem criada por Jane Austen


O romance de Jane Austen já foi adaptado algumas vezes para o cinema. Na versão de 1996 a protagonista foi interpretada por Gwyneth Paltrow. Agora foi a vez de Anya Taylor-Joy assumir o papel de Emma. A personagem vive diversos amores que dão errado, até se apaixonar de verdade. A narrativa do novo filme foi adaptada para se tornar mais atual e aborda temas recorrentes na sociedade hoje.

Anya Taylor-Joy foi indicada para a categoria de Melhor Atriz de Comédia ou Musical por Emma. A atriz também foi indicada em Melhor Atriz em Minissérie por seu trabalho como a  enxadrista Beth Harmon em O Gambito da Rainha, que se tornou  uma das séries mais assistidas da Netflix no passado.

6- The United States vs Billie Holiday

Em 'The United States vs Billie Holiday', o FBI tenta censurar a cantora por música contra linchamento de negros
Divulgação
Em 'The United States vs Billie Holiday', o FBI tenta censurar a cantora por música contra linchamento de negros


Em 1939, a cantora Billie Holiday lançou a música ‘Strange Fruit’, que falava sobre os linchamentos de pessoas negras dos Estados Unidos. A música não agradou nadinha ao FBI e colocou a cantora como alvo de diversas operações secretas que queriam censurar a canção e impedir Holiday de cantá-la. Para coroar a situação, a cantora se envolveu com um dos policiais disfarçados da operação.

É esse período da vida da cantora que é explorado em ‘The United States vs Billie Holiday’. No longa, ela é interpretada pela atriz Andra Day, indicada por sua atuação para o Globo de Ouro de Melhor Atriz em Drama.

7- I Care a Lot

'I Care a Lot' conta história de golpista que rouba dinheiro de idosos após se passar por cuidadora deles
Divulgação
'I Care a Lot' conta história de golpista que rouba dinheiro de idosos após se passar por cuidadora deles


O filme segue Marla (Rosamund Pike), uma mulher corrupta que se passa por guardiã legal de idosos. Ao colocar seus pacientes em casas de repouso depois de mantê-los presos a ela, a personagem rouba todas as economias deles. Um desses golpes dá errado quando ela tenta praticá-lo em uma mulher que está envolvida com conexões perigosas. Quem gostou da atriz como Amy em ‘Garota Exemplar’ pode gostar de uma versão mais descontraída de Pike, que foi indicada para a categoria de Melhor Atriz de Comédia ou Musical.

Bônus - Mulheres na direção

As mulheres na categoria de Melhor Direção. Pela primeira vez em mais de 78 anos de Globo de Ouro, três mulheres foram indicadas. É o caso de Chloé Zao, por ‘Nomadland’; Emerald Fennell, diretora de ‘Bela Vingança’; e Regina King, que dirigiu ‘One Night In Miami’, adaptação de uma peça de mesmo nome que narra um encontro entre o ativista Malcolm X, o lutador Muhammad Ali, o cantor Sam Cooke e o ator e jogador de futebol americano Jim Brown.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários