O coletor menstrual surgiu como uma alternativa mais prática e sustentável aos absorventes, mas o modo de uso tem muitas particularidades em relação às opções descartáveis. Os absorventes internos, por exemplo, devem ser trocados de quatro em quatro horas para evitar vazamentos, portanto, não é recomendado dormir com eles, mas com os coletores as coisas são um pouco diferentes.


coletor menstrual
Freepik/reprodução
Coletores menstruais são uma alternativa segura aos absorventes descartáveis, mas exigem alguns cuidados


Segundo o ginecologista e obstetra Marcos Tcherniakovsky, a frequência recomendada para retirar o coletor para esvaziar varia muito de mulher para mulher e de fluxo para fluxo. A média fica entre 6 e 12 horas de uso.

“Se o fluxo da mulher não for intenso durante a madrugada, não há nada de errado em dormir com o coletor, não causa nenhum tipo de problema”, afirma o especialista. 

Caso a mulher esqueça de trocar o coletor por mais de 12h horas, não há motivo para pânico, mas é importante se atentar para evitar que isso ocorra. “Nós temos um sangue armazenado e o sangue libera substâncias que podem causar dor, então a mulher pode ter um incômodo de dor, de cólica”, explica Marcos.

“Além do odor desagradável que pode surgir, porque é uma secreção parada dentro de uma vagina, que é habitada normalmente por bactérias que formam a flora dessa região. Porém, não corre risco de vida nem nada nesse sentido, apenas tem uma chance maior de infecção pelas secreções paradas”, completa.


Higienização e duração


Os coletores são feitos de materiais como silicone, por isso, são reutilizáveis e duram bastante tempo quando utilizados da forma correta. 

“Antes de usar, no primeiro dia do ciclo menstrual, é sempre bom lavar com água quente e sabão neutro, fazer a mesma coisa ao término daquele ciclo menstrual e guardar dentro de um recipiente limpo para armazená-lo. Uma das coisas que podem ser feitas é colocar o coletor menstrual em um recipiente com água -- depois de lavar ele bem -- e colocar no micro-ondas”, recomenda o ginecologista.

É uma forma de esterilizar o item a cada ciclo. Para isso, as marcas de coletores vendem recipientes específicos que podem ir ao ao micro-ondas ou até no fogão.

Nas trocas durante o período menstrual, a esterilização não é necessária, apenas lavar com água e sabão neutro já é o suficiente.

Segundo Marcos Tcherniakovsky,  com os cuidados adequados, um coletor dura em média cinco anos.

    Veja Também

      Mostrar mais