Nos últimos dias, Ludmilla e Thelma Assis receberam uma enxurrada de comentários ofensivos e racistas nas redes sociais. A cantora foi alvo após se envolver em uma briga com Anitta . Já a vencedora do BBB 20, sofreu os ataques depois de publicar um vídeo em seu canal no YouTube falando sobre a importância do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam)

Ludmilla e Thelma Assis
Reprodução/Instagram
Ludmilla e Thelma Assis foram vítimas de racismo nas redes sociais

Leia também:

No Instagram, as duas se posicionaram sobre o caso. “Não vai ser a primeira e, infelizmente, nem a última vez que terei que lidar com comentários racistas e respondê-los. Continuarei falando e denunciando, buscando justiça para os culpados”, escreveu Ludmilla. Thelma comentou nos stories: “A Ludmilla também foi atacada e eu queria dizer que estamos juntas e cada vez mais fortes.”

Ver essa foto no Instagram

Não vai ser a primeira e, infelizmente, nem a última vez que terei que lidar com comentários racistas e respondê-los. E para quem insiste em me atacar desta forma, só tenho uma coisa a dizer: não vou me esconder. Continuarei falando e denunciando, buscando justiça para os culpados. Tenho plena consciência do lugar que ocupo e do alcance da minha voz. E, justamente por isso, aprendo cada dia mais e não me calarei, seja sobre o racismo que acontece comigo seja sobre aquele que vejo dia a dia com os meus. Já ficou bem claro que não basta não ser racista, é preciso ser antirracista. Você ouve nossa música, mas e no dia a dia, onde estão seus amigos pretos? Com quantos pretos você convive? Como você contribui para mudar esse sistema - porque, sim, o racismo é estrutural. Nosso sistema foi construído em cima dele. E não, só postar quando convém não é o que vai mudar de fato nossa sociedade. Se você se cala diante da injustiça, você também está compactuando com ela. Para cada ofensa racista, eu encontro pelo caminho pessoas incríveis e que me inspiram nessa nossa luta. E é por isso que eu continuarei usando a minha voz para denunciar, para cobrar justiça, para seguir adiante e de cabeça erguida. Há muito a ser transformado e estou cada dia mais atenta para aprender, cobrar e agir para que todas essas mudanças aconteçam. - @linocasouza

Uma publicação compartilhada por Ludmilla (@ludmilla) em

Segundo a advogada Thais da Hora, atuante em crimes de violência doméstica e especialista em crimes sexuais contra a mulher, se você for uma vítima, assim como Ludmilla e Thelma, é possível denunciar e buscar ajuda na justiça.

“A vítima deve rapidamente tirar o print do ataque para realizar a denúncia pelo crime cometido, bem como denunciar junto à rede social onde foi propagado o ataque de injúria racial, para que ele ou ela seja banido da plataforma”, orienta. 

Após reunir os prints, a vítima por fazer a denúncia em uma delegacia especializada em crimes de racismo ou delegacias comuns. “Ao fazer a denúncia, é importante que a vítima ou a testemunha esteja munida de gravações do episódio, fotos ou prints”.

Ela ainda comenta a diferença entre crime de racismo e injúria racial. O crime de racismo acontece quando os ataques são direcionados a um determinado grupo, é algo coletivo. “Enquanto o crime de injúria racial, acontece face a face, onde o ato de discriminação e ódio é direcionado a um indivíduo em específico, como por exemplo nos casos de ofensas e comentários discriminatórios numa página pessoal”, fala.

Por existir essa diferença, a denúncia da injúria racial pode ser feita apenas pela própria vítima, mas no caso do crime de racismo, qualquer um que tenha presenciado o fato ou sofrido, pode registrar o boletim de ocorrência. 

Para quem ainda tem dúvida sobre o que exatamente é considerado um ataque racista, a advogada explica: “Normalmente, esses ataques ocorrem através de insultos fomentados pelo desprezo, tentativa de inferiorização, constrangimentos ou à associação a animais, com o intuito de desumanizar, pelo simples fato da sua existência, da sua fala, ideologia, profissão ou posição social”.

    Veja Também

      Mostrar mais