Tamanho do texto

Malissa Blake convive com a síndrome de Freeman Sheldon, uma condição rara que compromete estruturas do seu corpo

Melissa Blake escreve sobre comportamento e cultura pop para veículos como New York Times e CNN , além do seu blog pessoal. Independentemente do seu trabalho, porém, o rosto da profissional é alvo de frequentes ataques dos ‘ trolls ’ da internet, que escolheram sua aparência como alvo. 

melissa blake selfie arrow-options
Reprodução
Melissa blake foi criticada por ser "feia demais"

Leia mais: Preocupação excessiva com aparência pode causar transtorno psiquiátrico

Melissa nasceu com uma condição rara chamada síndrome de Freeman Sheldon, que combina alterações ósseas, contraturas articulares e uma expressão facial típica. E, mesmo após 26 cirurgias, ela ainda precisa conviver com o preconceito. 

Recentemente, porém, a jornalista recebeu uma mensagem que dizia que ela deveria ser “ excluída da internet por ser feia demais”. Dessa vez, Melissa decidiu responder da melhor maneira: com três selfies! 

"Durante a última edição dos ataques trolls , pessoas disseram que eu deveria ser banida por postar fotos de mim mesma, porque eu sou muito feia. Então, eu gostaria de comemorar a ocasião com três selfies", escreveu Melissa no Twitter.

A resposta recebeu o engajamento de milhares de internautas que apoiaram a profissional. Além disso, a postagem motivou outras pessoas pelo mundo a publicarem fotos dos seu rostos, com a campanha  #mybestselfie

Leia mais: Bullying. Saiba como reverter e evitar a situação 

Em entrevista ao programa de TV Good Morning America, Melissa comentou a repercussão da campanha e se disse satisfeita com os efeitos. “Nós temos um olhar muito limitado sobre o que é bonito. Eu espero que isso abra um debate sobre a deficiência”.