Tamanho do texto

Maria Marzaioli chegou a ficar careca, na tentativa de conter a reação alérgica na pele. Ela afirma que o episódio ajudou a melhorar sua autoestima

Uma viagem de férias à Toscana, na Itália, no ano de 2015, não foi das melhores para Maria Marzaioli, de 43 anos, que teve uma alergia severa após beber uma cerveja de trigo. A reação do corpo afetou drásticamente a autoestima e os hábitos de vida da mulher, que nunca havia passado por aquela situação antes.

Leia também: Tintura de cabelo causa reação alérgica e jovem fica parecendo um “monstro”

alergia
Reprodução/Instagram tsw_eczemaria
A alergia ficou evidente em Maria durante uma viagem à Itália, após ela tomar cerveja de trigo


A alergia ocasionada pela cerveja de trigo deixou a pele de Maria extremamente quente e o rosto e os olhos inchados. Em entrevista ao Daily Star , ela conta que chegou a raspar o cabelo na tentativa de diminuir a coceira intensa e irritação na pele.

“Manchas vermelhas se espalharam por toda parte e eu estava incrivelmente quente e com coceira. Daria para fritar um ovo no meu pescoço”, declara ela. “Na pior das hipóteses, eu acordava com os olhos inchados e com sangue nos lençóis, além de me arranhar durante a noite”, completa.

Maria procurou tratamento de imediato, investiu em antialérgicos e hidratantes, mas eles foram pouco eficazes, segundo seus relatos.

Os sintomas só foram desaparecendo e aos poucos quando ela aderiu ao uso de cremes anti-inflamatórios.

Leia também: Alergia e intolerância alimentar: como identificar os sintomas?

Alergia volta pior que antes

alergia
Reprodução/Instagram tsw_eczemaria
Maria Marzaioli chegou ao ponto de raspar o cabelo para ver se a alergia diminuía, mas ela retornou pior que antes


A alergia, no entanto, retornou com força assim que ela voltou para sua casa, que fica no condado inglês de East Sussex. A mulher procurou um médico para controlar a reação alérgica , porém a medicação não fazia mais efeito.

“Minha pele estava ficando cada vez pior, manchas vermelhas e secas se espalhavam pelas minhas costas, peito e pescoço”, lembra ela. “Eu dormi com luvas de algodão e usei compressão para impedir a coceira. Eu não poderia nem mesmo ser abraçada por alguém porque minha pele estava muito dolorida”, acrescenta.

Maria, que é agente de controle de qualidade, relatou ter sofrido ataques de coceira durante as atividades cotidianas, e teve que sair de uma banda onde tocava violino por causa da reação alérgica. “Muitas vezes eu tinha que ir direto para casa e entrar em um banho frio”, ressalta.

Leia também: Da alergia à tinta falsa: 5 tentativas de fazer as sobrancelhas que deram errado

Mudança no estilo de vida

alergia
Reprodução/Instagram tsw_eczemaria
Nada de medicamentos! O remédio encontrado por Maria para diminuir a alergia foi mudar os hábitos de vida


Com tentativas frustradas de conter a irritação, a inglesa decidiu, então, abandonar os cremes receitados pelos médicos e adotou a um método mais natural de recuperar a saúde da pele.

Ela cortou de sua vida alimentos com trigo, laticínios, açúcar e álcool, e também tenta limitar a quantidade de estresse que sofre no dia a dia. 

Atualmente, Maria fala abertamente sobre o assunto na tentativa de ajudar outras pessoas que passam pela mesma situação.

Além disso, a oficial de controle de qualidade ressalta uma coisa boa que surgiu com a alergia . “Isso me ajudou a aceitar meu corpo. Fiz as pazes comigo mesma e entendo o que tenho para oferecer ao mundo além da minha aparência”, destaca ela.