Tamanho do texto

A ideia surgiu como uma campanha de uma marca de sutiãs e calcinhas, mas as mulheres se tornaram protagonistas com suas próprias fotos e histórias

As redes sociais se tornaram ótimas plataformas para falar abertamente sobre pressão estética, autoestima e aceitação corporal  . Pensando nisso, uma marca de lingerie do Reino Unido lançou a campanha #MyBodyVictory (ou "minha vitória do corpo", em tradução para o português), incentivando mulheres a publicar fotos de calcinha e sutiã. 

Uma marca de lingerie está incentivando as mulheres a publicar fotos de sutiã e calcinha para incentivar melhor autoestima
Reprodução/Instagram/lauren_dungey/fattyboomtatty/
Uma marca de lingerie está incentivando as mulheres a publicar fotos de sutiã e calcinha para incentivar melhor autoestima


A hashtag está fazendo sucesso no Instagram e diversas mulheres com diferentes biotipos estão dando um show de autoestima ao compartilhar suas fotos. Junto às imagens, elas tambem contam sobre como venceram a vergonha e aprenderam a aceitar o próprio corpo, principalmente os "defeitos", como estrias, gordurinhas, seios grandes e celulite.

Mulheres compartilham histórias de autoestima

Mulheres britânicas compartilham fotos de lingerie e histórias sobre autoestima, amor próprio e aceitação corporal
Reprodução/Instagram/beckybedbug/galdalou/
Mulheres britânicas compartilham fotos de lingerie e histórias sobre autoestima, amor próprio e aceitação corporal

A blogueira britânica Becky Bedbug, por exemplo, foi uma das participantes da campanha e conta como a percepção sobre si mesma e, principalmente, sobre seu corpo mudou com a autoconfiança. "Pela maior parte da minha vida, eu tive consciência do meu corpo. Eu poderia escrever uma página inteira de coisas que quero mudar em mim mesma. Então, alguns anos atrás, algo mudou. Respirei fundo e postei uma foto minha usando biquíni no Instagram." 

"Eu não estava me sentindo confiante sobre isso, mas essa se tornou minha foto mais curtida. Fiquei surpresa com o apoio que recebi q minha confiança melhorou um pouco. 
Depois, tentei de novo e aconteceu a mesma coisa. Descobri que o quando mais saia da minha zona de conforto, mais apoio recebia", relata. "Comecei a sentir orgulho do meu corpo e amar as partes que antes me incomodavam."

Segundo Becky, esse sentimento que começou online logo começou a ser incorporado ao dia-a-dia e foi muito além de publicar fotos de lingerie.  "É incrível o quanto de poder você tem dentro de si quando aprende a sentir orgulho de quem é, e de como é." 

Já a modelo plus size GaldaLou afirma que seu corpo é uma "série de coincidências do universo", mas que é importante ter poder sobre si para ter ser mais confiante. "Todas as partes de mim, desde o meu cérebro e a forma como vejo o mundo, até minha pele e tudo entre isso, é inteiro e completamente meu e essas coincidências fizeram isso acontecer. Quando você pensa sobre isso, é mais fácil superar os dias ruins." 

Danika Ransome, que é ativista pela saúde mental, fez um vídeo usando lingerie e também escreveu sobre o processo de aprender a se amar. "Quando eu olhava para o meu corpo, setia ódio por causa das coisas que não podia fazer, das minhas restrições, das roupas que não cabiam mais em mim. Agora, eu me perdoo por sentir essa raiva, porque eu sou humana e nós crescemos em uma sociedade que reforça padrões de beleza e de corpo e é difícil fugir disso."


Afirmando que autoestima é um processo contínuo, ela continua: "Meu corpo é arte, amor, força e é meu. Cheguei muito longe de como via meu corpo, estou orgulhosa de mim e espero que todos vocês percebam que têm corpos maravilhosos também". 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.