Tamanho do texto

A atriz Maria Pinna, que evitava mostrar o corpo, conta como conseguiu elevar sua autoestima e superar o problema. Psicóloga afirma, porém, que o amor próprio não está, necessariamente, ligado à coragem de postar fotos

As academias estão cada vez mais lotadas, mas é claro que nem todo mundo que as frequenta está pensando na saúde. Em busca do “corpo perfeito”, presente nas capas de revistas e redes sociais, há quem cometa várias loucuras. Os poucos que não entram na pilha e resolvem não se calar diante da pressão estética , no entanto, chamam a atenção e representam um grande número de mulheres que evitam tirar fotos de biquíni para não expor suas "imperfeições".

Maria Pinna está sempre em evidência, mas confessa que não gostava de tirar fotos de biquíni pela baixa autoestima
Reprodução/Instagram
Maria Pinna está sempre em evidência, mas confessa que não gostava de tirar fotos de biquíni pela baixa autoestima


A atriz Maria Pinna , inclusive, surpreendeu ao relatar que demorou muito tempo para se sentir bem ao postar fotos de biquíni . A artista estreou na TV em “Malhação”, há oito anos, e desde então sempre esteve exposta na mídia. Ainda assim, ela não se envergonha de revelar que passou todos esses anos com medo de ser julgada, e só trocou de postura quando fez uma mudança interna, que não envolveu o físico, e sim seus lados mental e emocional.

“Eu não me amava. Colocava expectativas de felicidade em outras pessoas e esquecia de mim”, admite a moça. Em entrevista ao Delas , Maria conta que seus olhos foram abertos após uma conversa com amigos de infância. Quando ela percebeu que é amada, independentemente de estar em uma novela ou com o corpo em forma, resolveu mandar os padrões para bem longe.

“Como meus amigos não são do meio artístico, eles não se comparam ou ligam para padrões, como as outras pessoas. Aí eu pensei: ‘Quer saber? Que se danem os padrões!’. Cada ser humano é um único e perfeito ser. Parei de ficar me comparando", diz ela, que encontrou os parceiros onde nasceu, no litoral paulista, em Ilha Bela. Na ocasião, sem medo de ser julgada, a artista aproveitou e fez várias fotos de biquíni.

Isso que vocês estão vendo,não se trata de uma mudança física,mas sim de uma mudança interna: mental e emocional. Muuuuito grande. Demorei muito pra me sentir bem em postar fotos de biquini,do meu corpo. Por que? Porque eu não me amava. Colocava expectativas de felicidade em outras pessoas e esquecia de mim. Porque as pessoas julgam. Porque existem padrões. Fodam-se os padrões. E esse sistema! Se ame mulher. E se deixe descobrir o poder de ser uma mulher confiante,uma mulher livre. Pra tomar suas decisões,fazer suas escolhas e trilhar o seu caminho. Tudo isso sempre de acordo com as suas vontades e seus princípios. A sensação de se sentir confiante internamente transforma sua vida. Transforma a vida da sua família. Inspira seus amigos e os ajuda. Tome conta de si e faça o que quiser fazer... 🖤🔥🌹 @draesthelaconde Obrigada por tanto carinho e apoio nesse processo. Amo você

Uma publicação compartilhada por Maria Pinna (@mariapinna) em


Prestes a completar 30 anos, Maria afirma que começou a investir em uma jornada rumo ao amadurecimento. Além do apoio dos amigos de sua cidade natal, ela conta que a ajuda de uma dieta foi essencial neste período de encontro com a sua “liberdade”. Por uma semana, a atriz deixou de comer carne e acredita que isso também fortaleceu o seu espírito.

“Minha mente estava feliz, então resolvi fazer uma desintoxicação vegana, que me levou além. Pode parecer maluquice, mas o fato de ter somente ingerido sucos por sete dias consecutivos me limpou”, revela. Depois da experiência de autoconhecimento, a atriz começou a fazer acompanhamento com a nutróloga Esthela Conde e o terapeuta Luiz Eduardo Silva. A ideia, segundo ela, é fazer a transição e se tornar vegana de uma vez por todas.

Para atingir o objetivo, porém, falta pouco. “Minha ingestão de comida animal é o mínimo possível. Com esses profissionais estou dando continuidade a esse processo lindo de amadurecimento. E não paro por aqui, quero ir além e ajudar outras pessoas”, garante.

Celebridades questionam padrões, ao postar fotos de biquíni, e se destacam

Sem medo das críticas, artistas publicam fotos de biquíni para mostrar que ninguém tem o
Fotos de reprodução/Instagram
Sem medo das críticas, artistas publicam fotos de biquíni para mostrar que ninguém tem o "corpo perfeito"


O desabafo de Maria Pinna não fez bem só para ela. Muitos elogiaram a atriz, que postou as fotos de biquíni com o textão, ao revelar que também já passaram pelo mesmo ou estão enfrentando uma situação parecida atualmente.

Com passagens pela Globo e SBT, a artista sabe a força que tem nas redes sociais e confessa que a sua intenção, ao postar as fotos de biquíni , é ajudar outras mulheres a perceberem a importância da autoestima e o perigo que existe quando se quer estar dentro dos padrões.

Em um de seus últimos trabalhos na TV, na novela infanto-juvenil “Cumplices de um Resgate” (2015), Maria interpretou Regina e o papel de vilã atraiu muitos jovens para os seus perfis da internet. A atriz, inclusive, acha isso ótimo. Para ela, o quanto antes as pessoas souberem que devem se amar como são e que não existe problema em ter celulites ou estrias, melhor.

“É bem nessa fase da vida que a gente começa a se comparar com os outros, fica confuso e, às vezes, para até de se amar”, afirma a artista. Doutora em psicologia clínica pela PUC-SP, Carla Poppa concorda com a atriz e explica que, por esse motivo, a representatividade é importante neste momento. “Ajuda a desfazer essa ilusão de que existe um corpo esteticamente perfeito, que é o que faz muitas mulheres ficarem sempre insatisfeitas, pois a perfeição não é real”, diz.

Leia também: Mulher se "casa" com ela mesma para celebrar o amor próprio

A especialista também lembra que é preciso que cada um encontre em si motivos para desenvolver o amor próprio. Ela afirma ainda que se alguém acredita que sua única e principal qualidade está na beleza, algo não vai bem. “Para escapar desse aprisionamento é importante investir no desenvolvimento de outras qualidades e habilidades”, diz ela. “Essa busca pelo corpo perfeito pode ser uma maneira de preencher um vazio”, completa.

Carla acredita que todos precisam dedicar mais tempo e energia para resgatar experiências simples que proporcionem a troca de afeto com pessoas queridas, como Maria Pinna fez com os amigos de Ilha Bela. Por ser uma figura pública, a atriz conta que várias pessoas não acreditaram quando ela disse que tinha a autoestima baixa e evitava fotos de biquíni, mas ela já não se preocupa com o que pensam ou falam sobre o seu corpo.

“A maioria das pessoas não são claras e transparentes, por isso não acreditaram. Eu não estou aqui para julgar alguém. O fato é que eu falei o que aconteceu comigo justamente para mostrar aos outros que é normal. Não importa se você é uma figura pública ou não”, afirma.

Fotos de biquíni não demonstram, necessariamente, autoestima de quem publica

Nem todo mundo que posta fotos de biquíni no Instagram tem a autoestima elevada, segundo psicóloga Carla Poppa
shutterstock
Nem todo mundo que posta fotos de biquíni no Instagram tem a autoestima elevada, segundo psicóloga Carla Poppa


Embora não seja o caso de Maria Pinna, a psicóloga Carla Poppa garante que nem todas as pessoas que postam fotos de biquíni na internet têm a autoestima elevada. Para alguns, inclusive, as postagens indicam exatamente o contrário.

“Algumas mulheres postam fotos de biquíni para compartilhar experiências e mostrar que estão orgulhosas com as suas aparências. Outras têm a intenção de receber elogios e a admiração das pessoas, aí começam a depender desses comentários para se sentirem bem, o que já é um sinal da baixa autoestima”, afirma ela.

Para a especialista, o excesso de postagens para chamar a atenção dos outros são feitos quando a sensação de bem-estar em relação a quem se é não está assimilada no interior desse internauta, daí ele tende a se expor demais com a expectativa de se sentir aceito e aprovado. Com isso, é claro, a autoimagem fica vulnerável.

A necessidade de aprovação, no entanto, existe para todos e não só para quem tem a autoestima baixa. A diferença é que alguns, ao longo da vida, contaram com o apoio de outras pessoas e se apropriaram de suas habilidades, qualidades e defeitos. Por isso, essas pessoas têm uma autoestima considerável quando comparamos com quem não recebeu esse apoio.

“Geralmente, em diferentes relações, essas pessoas se sentiram aceitas ao serem espontâneas e esse recurso valioso não só as torna menos dependentes da aprovação dos outros, como também permite que discriminem a opinião de quem, para elas, não faz sentido", garante.

Leia também: Confira as frases dos pais que acabam com a autoestima das crianças

Para Maria Pinna, que superou o problema e agora até posta fotos de biquíni na internet,  a dica é encontrar motivos para se amar. A atriz lembra que em seu momento de transição, inclusive, leu uma frase que mexeu com o seu interior e a fez enxergar a vida de uma maneira diferente. "Não lembro de quem é,mas me ajudou. Dizia que cada instante é tempo de mudar as nossas vidas para sempre e eu aprendi, depois disso, que tudo depende das minhas escolhas, do meu sim ou do meu não", finaliza.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.