Tamanho do texto

Marca quer romper com os padrões da indústria da moda; nas redes, usuários se dividiram entre elogiar iniciativa e dizer que ela normaliza automutilação

Vem virando tendência a indústria da moda querer romper com padrões e estereótipos de beleza, por sorte, tornando-se cada vez mais inclusiva e representando cada vez melhor as mulheres. Uma marca decidiu dar mais um passo e incluir modelos com cicatrizes de automutilação em sua campanha a fim de romper padrões .

Intenção da marca ao contratar modelo com cicatrizes de automutilação é romper padrões de beleza da indústria da moda
Reprodução
Intenção da marca ao contratar modelo com cicatrizes de automutilação é romper padrões de beleza da indústria da moda


Uma marca de vendas de biquíni online norte-americana, conhecida por suas campanhas com mulheres com vitiligo, estrias e celulites à mostra, contratou várias modelos com marcas e cicatrizes, inclusive uma influenciadora que possui cicatrizes de automutilação por todo o corpo  - dos braços, às coxas e barriga.

“Cicatrizes no corpo são uma parte da jornada de vida de cada pessoa e não deveriam ser 'photoshopadas' [removidas digitalmente com Photoshop]. Nós queremos mostrar a todas as meninas que elas devem se amar e rejeitar os padrões irrealistas da indústria da moda”, disse a marca ao jornal britânico “Metro UK”.

Reações à modelo com cicatrizes de automutilação


A postura da marca foi considerada ousada e os consumidores e usuários do Instagram, onde as fotos foram postadas, reagiram à campanha. As opiniões foram divididas entre aqueles que aplaudiram a representação de mulheres reais e aqueles que afirmaram ser um gatilho, prejudicial para quem ainda está enfrentando a automutilação.

“Obrigada por mostrar mulheres com cicatrizes fruto de automutilação. Realmente dá uma sensação de esperança muito grande. Muitas de nós passamos por situações similares e ver isso é muito encorajador. Não há nada para se envergonhar - todos têm suas jornadas individuais. Você ainda é linda, mesmo com suas cicatrizes”, escreveu uma usuária.

Outra, porém, ponderou: “Isso [a campanha com a modelo com as cicatrizes à mostra] pode ser uma forma de encorajar pessoas que sofreram com automutilação, mas, por outro lado, temo que seja um forma de normalizar a prática”.

Ainda tiveram aquelas que compartilharam suas experiências  pessoais, ressaltando ainda a importância de se verem representadas em campanhas como a da marca de biquíni. “Eu desisti da minha carreira de modelo porque, conforme fui avançando, tinha que mostrar cada vez mais pele e sentia que não conseguia fazer isso por causa das minhas cicatrizes de automutilação . Obrigada por trazer modelos reais, com histórias reais.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.