Harley Mallow tem uma história difícil: aos dois anos de idade ela sofreu queimaduras de quarto grau por todo o corpo devido a um incêndio em sua casa. Desde então, ela batalhou para se aceitar, tendo até sofrido bullying durante a infância. Hoje, ela conta como se casar e engravidar ajudou-a a aceitar o próprio corpo. Depois de anos sofrendo bullying e preconceito por suas queimaduras%2C Harley diz ter aprendido a responder com gentileza

Leia também: Mulher com 85% do corpo queimado faz ensaio sensual para se empoderar

undefined
Reprodução/Facebook
Harley diz ter aprendido a responder preconceito que sofre contra suas queimaduras com gentileza


Até chegar aos vinte anos, Harley conta que se odiava por conta de suas queimaduras . Usava roupas longas para esconder seu corpo e se recusava a interagir com pessoas quando saía para evitar olhares.

“Eu estava cansada de me sentir tão depressiva com tudo. Eu até me machucava de propósito quando era criança e só queria morrer - ter pessoas ao meu redor que me diziam que eu deveria estar morta também não ajudava”, revelou ela ao tabloide britânico “Daily Mail”.

Ao longo de sua vida, Harley realizou cerca de 20 cirurgias de reconstrução por todo o corpo e foi só quando ela conheceu seu marido, Josh Mallow, que começou a se sentir bonita. Os dois se casaram em outubro do ano passado e agora ela, que já é mãe adotiva de uma menina de sete anos, está grávida do primeiro bebê do casal.

Leia também: Vítima de ataque com ácido publica foto inspiradora após recuperação

“Quando descobri a gravidez , nós dois ficamos um pouco assustados, para falar a verdade. Havíamos no casado fazia apenas um mês”, conta. Mas Harley afirma que estar grávida está ajudando-a a amar mais o próprio corpo e que quer ensinar aos filhos a aceitarem pessoas de aparência diferente.

“Espero que ao demonstrar sempre amor para meus filhos, eles aprendam a tratar outras pessoas com amor e gentileza, aceitando todas as pessoas, não importa o quão diferentes elas sejam”, afirma.

Mas ela pondera que ainda existem dificuldades e que não são todos os dias em que ela está completamente segura com a própria aparência. “Algumas roupas não servem direito por conta da falta de tecido e músculo no meu corpo, e um dos meus pés ficou tão danificado que também existem sapatos que não ficam confortáveis ou não cabem. Mas, apesar de tudo, sou muito feliz hoje e falar sobre o acidente se tornou muito mais fácil.”

O acidente

Aos dois anos de idade, em 1997, Harley sofreu o acidente que deixou todo seu corpo coberto por queimaduras de quarto grau. Ela estava dormindo quando a máquina de lavar da casa entrou em curto circuito e começou a pegar fogo.

Seus pais estavam do lado de fora da residência e não viram a fumaça, percebida por sua irmã mais velha, que havia acabado de chegar da escola. O fogo, porém, já estava alto e Harley ficou presa dentro da casa. Ela foi salva pelo pai, mas teve o corpo comprometido.

“Eu passei mais de três meses no hospital, incluindo meu aniversário de três anos. Mais de 80% do meu corpo foi queimado e tive que passar por diversas cirurgias. Meu pai, que me salvou, ficou com algumas pequenas cicatrizes”, conta Harley.

A aparência de Harley fez com que ela sofresse bullying, principalmente durante a adolescência. Sabendo o quanto isso a prejudicou, hoje ela luta para transmitir mensagens positivas que possam ajudar outros que enfrentam vivências parecidas.

Leia também: Mulher com rosto deformado conta como 'namoro na TV' lhe deu autoconfiança

“Meu conselho é não deixar que os comentários negativos te definam. Não deixe que eles ganhem. Reaja com gentileza, porque não vão saber reagir a isso. Você é melhor do que o que as pessoas dizem e a vida melhora”, sugere ela pensando em sua própria experiência com as queimaduras .

    Veja Também

      Mostrar mais