Tamanho do texto

Sylvia Mac cansou de sentir vergonha de sua aparência após ser filmada por um estranho numa ida à praia; agora, ela exibe suas cicatrizes com orgulho

Cicatrizes pelo corpo podem ser motivo de vergonha para muitas pessoas, principalmente para mulheres. Era o caso da britânica Sylvia Mac, cujo corpo está coberto de marcas decorrentes de queimaduras de terceiro e quarto grau que ela sofreu quando criança. Mas ela decidiu reverter a situação: após sofrer preconceito por estar usando um biquíni na praia, que exibia as cicatrizes, Sylvia decidiu criar um grupo de apoio para ajudar outras pessoas com corpos desfigurados.

Leia também: Mulheres mostram que cicatriz é sinal de orgulho e não de vergonha em fotos

Sylvia Mac, criadora do grupo e site Love Disfigure, posando de biquíni com as cicatrizes de suas queimaduras à mostra
Facebook/Reprodução
Sylvia Mac, criadora do grupo e site Love Disfigure, posando de biquíni com as cicatrizes de suas queimaduras à mostra



Aos três anos de idade, Sylvia derrubou uma panela de água fervente sobre si mesma. O acidente foi tão horrível que, na época, os médicos disseram a seus pais que ela não sobreviveria. Os anos seguintes seriam marcados por visitas constantes ao hospital para tentar reparar o dano provocado pelas queimaduras em seus braços e costas. Além disso, Sylvia viria a desenvolver depressão e até ter pensamentos suicidas, de tanto que odiava suas cicatrizes .

Até que em 2016, quando ela estava na praia com a mãe, Sylvia - que usava um biquíni e tinha uma toalha enrolada ao redor de si - reparou que um homem a seguia com o celular filmando seu corpo. “Naquele momento, eu decidi que não queria mais sofrer com a aparência do meu corpo  e tirei a toalha que me cobria. Era a primeira vez que eu fazia aquilo em público”, contou Sylvia ao jornal britânico The Sun.

Depois desse episódio, ela decidiu que passaria a ajudar outras pessoas, principalmente mulheres, com corpos desfigurados por cicatrizes. Para isso, ela criou o site e o grupo no Facebook de mesmo nome: “Love Disfigure” (Amor desfigurado, em tradução livre).

Leia também: Para ajudar outras mães, jovem de 19 anos revela cicatriz e marcas após cesárea

“Desde que eu aprendi a me aceitar, reconquistei minha confiança e, agora, [além do grupo] monto grupos de natação com pessoas que tenham doenças de pele, marcas, queimaduras e cicatrizes para que elas também possam se aceitar”, escreve Sylvia em seu site.

Beleza exposta

Sylvia Mac (ao centro) junto das outras mulheres que ela convidou para exibirem suas marcas em ensaio fotográfico
Facebook/Reprodução
Sylvia Mac (ao centro) junto das outras mulheres que ela convidou para exibirem suas marcas em ensaio fotográfico

No site, assim como no Facebook, há um enorme ensaio fotográfico dela e de outras mulheres, homens e até crianças, usando roupas de banho e exibindo orgulhosamente suas marcas .

Sylvia afirma que quis fazer o ensaio para desafiar a indústria da moda a ser mais inclusiva. Ela conta que, quando jovem, chegou a receber um convite para ser modelo, mas foi rejeitada assim que viram suas marcas.

Leia também: As 10 mulheres que mais nos fizeram repensar nossa visão sobre o corpo

“Não há motivo para escondermos nossas cicatrizes . Nós podemos ser confiantes com elas e encontrar a felicidade. Deixe sua beleza interior brilhar. Acredite em si mesmo e passe a enxergar suas marcas somente como mais uma parte daquilo que te torna único. Nós todos podemos ser pessoas lindas.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.