Tamanho do texto

"É a liberdade de viver a vida sem se preocupar o tempo inteiro se alguém pode ver que você é peluda. A vida é curta, mas seus pelos não precisam ser"

Miranda Nodine, de 28 anos de idade, foi diagnosticada com síndrome do ovário policístico aos 16 anos. Geralmente, as mulheres que têm esse distúrbio hormonal possuem altos níveis de hormônios masculinos e sofrem com uma série de sintomas, como menstruação irregular, ganho de peso e hirsutismo , ou excesso de pelos no corpo, como é o caso desta jovem. 

Leia também: Com excesso de pelos, mulher abandona depilação e dá lição de autoaceitação

Miranda Nodine tem síndrome do ovário policístico e, entre os sintomas, está o crescimento excessivo de pelos no corpo
Reprodução/Instagram/@squirrelsinhats
Miranda Nodine tem síndrome do ovário policístico e, entre os sintomas, está o crescimento excessivo de pelos no corpo




Em entrevista ao "Daily Mail", Miranda conta que passou anos tentando esconder a condição médica e até os 20 anos de idade costumava se depilar quase todos os dias. "Eu gastava horas e horas tentanto remover os pelos . Ficava cinco horas ou até mais tempo no banho tentanto depilar tudo", diz. "Isso se tornou muito difícil quando eu fiquei mais velha, então decidi parar."

Além das sessões de depilação , ela também costumava se esconder embaixo de roupas. "Costumava calças durante o verão e esconder o máximo de pele que eu conseguia. Sempre que eu estava me vestido para sair, fazia questão de que todas as partes peludas estivessem cobertas, incluindo meus ombros."

Essa percepção sobre o próprio corpo mudou quando que ela criou uma página no Facebook, depois de se sentir desmotivada e com a autoestima baixa por ver publicações com conteúdo sobre beleza e perda de peso. "Eu vi muitas mulheres compartilhando suas jornadas de vida e como elas perderam peso, eu queria aquela força e coragem, mas não estava pronta."

Então, a sogra de Miranda a aconselhou a criar uma página na rede social voltada para mulheres com hirsutismo. "Na mesma hora eu sabia que precisava fazer isso. Decidi compartilhar minha história no Instagram, porque vi que lá não tinha muitas mulheres como eu, que decidiram parar de se depilar, então tirei uma foto e falei sobre a minha vida."

Leia também: Mulher assume barba para empoderar quem tem síndrome do ovário policístico

Processo de aceitação


Miranda diz que a pior parte de criar uma conta nas redes sociais foi receber comentários sobre seu corpo, principalmente porque ela sente que as pessoas ficam "com nojo" de mulher adultas que não se depilam. 

Entretanto, esse não é um problema apenas do Instagram. Ela também já passou por situações semelhantes na escola e em antigos relacionamentos. "Eu sofri muito bullying na escola por causa dos pelos. Ainda estou aprendendo a lidar com o desenvolvimento do meu corpo, então ficar nua na frente de outras meninas tendo a barriga, as costas e os peitos peludos não é algo fácil."

Atualmente, Miranda está noiva de Brooke e já aceita o próprio corpo. "Ela me ajudou muito nesse processo e sou extremamente grata. Ela me ajudou a perceber que meu pelo não é só isso. E que isso não define a minha beleza, porque existe beleza além disso." 

Leia também: Mulheres são obrigadas a depilar os pelos? Veja histórias que provam o contrário

Conselheira 


Miranda compartilha conselhos nas redes, a fim de ajudar outras mulheres que enfrentam os mesmos problemas e têm síndrome do ovário policístico. "Amar a si mesma dá trabalho. Muito trabalho. Mas é o trabalho mais gratificante que você vai fazer. Ainda estou aprendendo todos os dias que eu valho a pena e que sou algo além do hirsutismo", diz. 

"Um dia você vai acordar e se perguntar porque levou tanto tempo para isso. É a liberdade de viver a vida sem se preocupar o tempo inteiro se alguém pode ver que você é peluda. É a liberdade de finalmente abaixar o barbeador e passar seu tempo com as pessoas que te amam ao invés de tentar se encaixar no padrão chato da sociedade. Seja você. A vida é curta, mas os seus não precisam ser."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.