Tamanho do texto

A jovem britânica luta contra o transtorno alimentar há mais de 10 anos e hoje compartilha fotos celebrando todas as formas de seu corpo

Em 2016, a jovem Connie Inglis foi levada para a emergência do hospital no estágio final da anorexia. Na época, a britânica de 21 anos de idade pesava o mesmo que uma criança de cinco anos e, de acordo com os médicos, ela teria apenas algumas semanas de vida se não mudasse a forma como estava se alimentando. 

Leia também: Modelo plus size compara fotos com e sem edição para mostrar "corpo real"

Connie publica fotos no Instagram para encorajar as mulheres a amarem seus corpos e conta sobre sua luta com anorexia
Reprodução/Instagram/@my_life_without_ana
Connie publica fotos no Instagram para encorajar as mulheres a amarem seus corpos e conta sobre sua luta com anorexia



Entretanto, aquele momento no hospital foi como um sinal de alerta. A jovem já estava lutando contra a anorexia há mais de 10 anos e percebeu que precisava melhorar seu estado de saúde para sobreviver. Quase dois anos depois, Connie está em processo de recuperação, porém saudável, cheia de otimismo e estudando arte em uma universidade local. 

A jovem conta sua trajetória nas redes sociais e compartilha fotos celebrando todas as formas do corpo. Ela está determinada a apoiar outras pessoas que também estão lutando com questões de imagem corporal e transtornos alimentares e mostra o corpo sem retoques. "Eu tento mostrar a realidade do que é um corpo normal. Nem todo mundo tem que parecer uma modelo da Victoria's Secret o tempo todo", diz em entrevista à BBC News. 

Inspiração nas redes

Celulite e gordurinhas se tornaram comuns no corpo de Connie, algo que ela afirma que antes parecia impossível. Assim, as fotos também são publicadas com legendas inspiradoras, encorajando os seguidores a desafiarem as normas e padrões de beleza. "Eu pensava que era necessário ter uma barriga perfeitamente reta para ser bonita, mas não, me desculpe, hoje acho isso uma besteira", escreve em uma publicação. "Aprenda a amar seu corpo! Ele é lindo, assim como você."

No Instagram, ela ainda afirma que a luta é um processo que acredita valer a pena e tenta inspirar outras pessoas, para que elas busquem ajuda para se recuperar de transtornos alimentares. "Eu quero que você saiba que é possível! É possível sair da escuridão! Não, nem todos os meus problemas desapareceram. Sim, eu ainda tenho 'os pensamentos', mas sou forte o suficiente agora para resistir e você pode superar esse inferno." 


Transtornos 

Nos últimos anos, os cientistas encontraram evidências de que as imagens publicadas nas redes afetam a visão das mulheres sobre beleza e, também, prejuda a autoestima de muitas. Um estudo do jornal "New Media and Society" apontou que quanto mais tempo as mulheres passavam olhando imagens de modelos e mulheres "dentro do padrão", pior elas se sentiam sobre os próprios corpos. 

Isso é uma prova de que Connie realmente pode ajudar os quase 90 mil seguidores com as fotos que compartilha. Além de mostrar que o processo de recuperação da anorexia e outros transtornos alimentares é possível, ela também promove a ideia de que um corpo saudável e bonito não precisa ser de uma forma definida. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.