Tamanho do texto

Em 2016, Jade Hameister se tornou a pessoa mais jovem do mundo a chegar ao Polo Norte, mas isso não a impediu de ser atacada por "haters" na internet

Uma adolescente de 16 anos de idade está chamando atenção nas redes sociais, e isso não se deve apenas ao fato de que ela esquiou 600 km até o Polo Sul — o que é bastante impressionante —, mas também pela resposta que compartilhou em sua página no Facebook após ser bombardeada com comentários de " haters " e ser alvo de machismo. 

Leia também: As 5 mulheres que nos mostram que a luta contra o machismo ainda não acabou

A aventureira Jade Hameister deixou o sanduíche frio no Polo Sul como resposta ao machismo que sofreu pela internet
Reprodução/Facebook/Jade Hameister
A aventureira Jade Hameister deixou o sanduíche frio no Polo Sul como resposta ao machismo que sofreu pela internet


A australiana Jade Hameister é uma aventureira que se desafia a quebrar recordes em longas viagens com muito exercício físico. Em 2016, quando estava com 14 anos, ela se tornou a pessoa mais jovem do mundo a esquiar até o Polo Norte e, agora, ela também chegou ao Polo Sul. Para algumas pessoas, no entanto, a moça deveria estar ocupada com tarefas para as quais mulheres costumam ser "designadas" pela sociedade, fazendo com que o machismo se manifestasse em comentários para lá de sexistas sobre ela.

Na época do primeiro recorde, Jade palestrou no "TEDx talk" de Melbourne, evento que reúne pessoas inspiradoras para falar sobre os mais váriados temas. Mas, quando o vídeo foi publicado no YouTube, ela passou a receber mensagens, principalmente de homens, com a frase “make me a sandwich”  — me faça um sanduíche, em tradução para o português.

Leia também: Mulher viaja pelo mundo pelada para desmistificar a sexualização do corpo

Essa é uma frase bastante utilizada pelos "trolls" da internet quando querem desmerecer as conquistas de alguma mulher. A "origem" disso é o fato de que, ainda hoje, muita gente acha que mulheres nasceram para ficar na cozinha e agraciar os maridos, fazendo tudo o que eles pedem e esperando-os em casa com a janta pronta.

Por outro lado, a resposta de Jade foi completamente diferente do esperado. A jovem usou o insulto de forma inversa e decidiu atender ao pedido dos machistas de plantão, mas com uma condição. “Eu fiz um sanduíche para vocês (de presunto e queijo). Agora esquiem por 37 dias e 600 km até o Polo Sul e poderão comer”, escreveu a jovem ao divulgar uma foto em que aparece segurando o lanche. A publicação já soma mais de 4,4 mil curtidas e mil compartilhamentos no Facebook. 

Leia também: Confira as reportagens de 2017 que nos fizeram repensar o que é ser mulher

Planejamento da viagem

A australiana viajou por quase 40 dias ao lado do pai, Eric Philips, e de outras duas pessoas da equipe de filmagem do canal "National Geographic", que estão gravando as aventuras da jovem para um futuro documentário. A jornada concluiu um plano dividido em três partes que ela começou a executar em abril de 2016, mas a ideia do sanduíche foi algo de última hora. 

Em entrevista à "CNN", Jade conta que tudo surgiu como uma brincadeira de viagem. "O local em que nós ficamos acampados estava a menos de um quilômetro de distância do Polo Sul , então nós decidimos fazer isso". Ela afirma que chegou ao objetivo final sozinha e, depois de publicar a foto em resposta ao machismo, ficou satisfeita com as reações. “Tiveram muitos comentários, o que eu realmente não espera, mas acho que é simplesmente engraçado", diz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.