Tamanho do texto

Funcionária contou a colega que estava usando bolsa de água quente na barriga por conta das dores menstruais e o RH não gostou nada disso

Se você é mulher, provavelmente já teve cólica ao menos uma vez na vida. A dor é tão intensa para algumas mulheres que elas são obrigadas a buscar alívio em remédios fortes ou até ir ao pronto-socorro. Ainda assim, é algo muito comum de acontecer durante o período em que o corpo está se livrando de toda a preparação que fez para receber um possível bebê.

Leia também: “Eu acho que a cólica menstrual é um mito”, diz, obviamente, um homem

Uso de bolsa de água quente para cólica chamou atenção de supervisor e causou problemas para funcionária
Shutterstock
Uso de bolsa de água quente para cólica chamou atenção de supervisor e causou problemas para funcionária

Entretanto, para algumas pessoas ainda é tabu falar em cólica ou menstruação . Uma britânica usou o site “Mumsnet” para revelar um ato de preconceito que sofreu apenas por ter dito que estava sofrendo com as dores do período menstrual no trabalho. O site, normalmente, trata de assuntos sobre maternidade e paternidade, contando com um fórum para que os internautas conversarem entre si, e foi nessa página que a usuária decidiu desabafar.

Repreendida por falar sobre cólicas

“Eu tenho uma bolsa de água quente na minha gaveta. Eu normalmente uso no inverno, porque o escritório é gelado, e algumas pessoas, homens e mulheres, também têm uma.  De qualquer forma, em um dia que estava com cólicas, enchi minha bolsa, coloquei no meu colo e voltei para o trabalho”, relata a mulher. O problema teve início quando um supervisor foi perguntar se ela realmente estava sentindo frio naquele dia, especificamente.

Leia também: Você conhece sua pepeca? Saiba tudo sobre a região íntima feminina

Sem problema algum em revelar o motivo de estar usando bolsa de água quente, a funcionária contou que estava com dores menstruais. Porém, segundo ela, o supervisor encarou-a com uma expressão confusa e apenas se afastou. Alguns minutos depois, ela recebeu uma mensagem do RH da empresa, que fica em outro prédio, dizendo que o supervisor os avisou de que ela não estava bem e de que deveria ir para casa.

A funcionária disse que estava bem e explicou que o supervisor só ficou um pouco chocado por ela estar usando uma bolsa de água quente em um dia atípico. No final da mensagem, voltou a dizer que estava com cólicas ,e como estava conversando com uma mulher, terminou dizendo “você sabe como é”.

A conversa por e-mail com a funcionária do RH encerrou naquele mesmo instante, sem uma resposta. Mais alguns minutos depois, ela recebeu uma ligação da diretora do RH da empresa chamando-a para uma reunião. Lá, a chefe disse que a funcionária não deveria ficar falando de seus problemas médicos com pessoas que não fossem do RH, já que isso poderia deixá-las desconfortáveis. A diretora chegou a dizer até que o supervisor para quem a mulher havia relatado as cólicas estava sem graça e que a atitude dela não havia sido profissional.

O mais contraditório de toda a história é que, segundo a usuária do “Mumsnet”, o supervisor é conhecido por fazer reuniões com clientes deitado no chão, já que sofre de dores nas costas. “Eu nunca teria usado minha bolsa de água quente em uma reunião com clientes, nem mesmo se a reunião fosse no escritório”, acrescenta ela.

Leia também: Ginecologista lista cinco hábitos comuns que prejudicam a saúde da mulher

A funcionária termina o texto questionando o fato de ela ter sido repreendida por conta das cólicas enquanto os colegas podem exibir seus apoios para as costas, por conta de dores na região, ou suportes para os pulsos, em razão de dores no punho. Para os outros usuários do site, que responderam ao relato, o maior problema está na postura do RH em relação à situação, já que o supervisor poderia estar apenas tentando ajudar a colega.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas