Tamanho do texto

Quando falamos em ciúmes, pensamos no sentimento que um casal pode sentir, mas ele pode acontecer em qualquer tipo de relacionamento

Ele pode ser confundido com cuidado e preocupação. Quem ama sente, mas dizem que em excesso pode prejudicar um relacionamento.  O ciúmes geralmente é associado à relação de um casal, mas mãe, irmão e amigos também podem ser vítimas desse sentimento. 

"O ciúmes é um sentimento tão natural quanto qualquer outro que envolve as relações humanas", define o psicólogo Roberto Debski. Essa situação é considerada normal e acontece quando convivemos e gostamos de alguém. "Isso significa insegurança quanto à relação delas com outras pessoas, se seremos preferidos, se preferem os outros, além de pensamentos relacionados", diz Roberto. O problema é a intensidade de tudo isso, fazendo do outro uma vítima desse sentimento. 

+ Qual o limite saudável do ciúme?

O ciúmes não é normal apenas no relacionamento entre um homem e uma mulher
Getty Images
O ciúmes não é normal apenas no relacionamento entre um homem e uma mulher



É possível, por exemplo, que a pessoa não tenha ciúmes do marido ou namorado, mas não pode ver ninguém de aproximar da família ou dos melhores amigos. Esse cenário tem um sigificado, segundo o profissional. O ciúmes não aparece no relacionamento amoroso porque a pessoa vê uma dependência do outro e até desacredita de uma possível crise nessa relação. O mesmo não se repete nos amigos ou família.  

+ Ausência de ciúme em uma relação significa falta de amor?

"Ou então, muito mais comum, se trata de um sinal que talvez esta pessoa realmente não se preocupe tanto assim com o relacionamento por faltar o principal, o afeto ou amor, a ponto de não se abalar com a possibilidade de rompimento desta relação", completa o psicólogo.

Excesso de ciúmes

E quando o ciúmes passa dos limites? Isso acontece no momento que uma pessoa se sente muito insegura, ao ponto de precisar controlar e dominar o outro. "Ela tem dúvidas, medos e desconfianças frequentes, o que prejudica o relacionamento e põe em risco a continuidade da relação", explica Roberto. Algumas pessoas têm medo de serem traídas, trocadas e às vezes isso acontece porque as atitudes dela sufocam a relação e podem levar a isso. 

Quando acontece o excesso, é conhecido como ciúmes patológico . "Ele tem prazer no controle, só que não sabe que uma relação verdadeira nada tem a ver com posse, mas sim com amor, troca, crescimento e solitude", conta o especialista.

Quem é mais ciumento?

Há quem diga que as mulheres são mais ciumentas que os homens, mas segundo Roberto "cada caso é um caso". O sexo feminino realmente transparece muito mais, mas o rapaz que se sente ameaçado é capaz de ser muito mais agressivo com o sentimento. "Cada pessoa tem suas particularidades que são relacionadas a sua própria personalidade e a modelos de relação que traz interiorizados e provém dos modelos de família e da sociedade".

+ A família aumentou, e agora?

Segundo o psicólogo, as pessoas se comportam diferente em cada relação. "Por vezes são pouco ciumentas na relação com uma pessoa e em outra relação podem ser muito ciumentas e inseguras, e vários fatores influenciam cada contexto".

Vítima do ciúmes

Segundo Roberto, o ciúmes afeta os dois lados de uma relação: quem é o alvo da insegurança e quem possui o sentimento. Quem sente, de acordo com o psicólogo, sofre e projeta a culpa no outro e tem medo de tudo que ela fantasie vire realidade. Se a situação te dominar e virar patológica, o indicado é procurar um especialista para que o que era um cuidado inicial não prejudique e até acabe com a relação. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.