Tamanho do texto

Prática conhecida como "Breast Ironing", que se originou no continente africano, gerou alerta no Reino Unido

"Breast ironing" é uma prática violenta, tradicional em alguns países africanos, que envolve "massagear ou pressionar os seios de garotas adolescentes com uma pedra, martelo ou espátula aquecidos em brasa para suprimir e reverter o desenvolvimento deles [dos seios]", de acordo com relatório publicado pela ONU Mulher em 2015.

Prática consiste em passar objetos como pedra ou espátulas quentes nos peitos de adolescentes
Reprodução/Channel 4
Prática consiste em passar objetos como pedra ou espátulas quentes nos peitos de adolescentes

O motivo alegado para a prática - um tipo de mutilação genital feminina, perpetuada por gerações - é a proteção das mulheres de abuso sexual, pois acredita-se que, com os seios subdesenvolvidos, elas se tornam menos atraentes para os homens.

O parlamentar Jake Berry, em depoimento sobre a prática na Câmara dos Comuns do Reino Unido no dia 23 de março, afirmou que esta "prática detestável" está acontecendo em algumas comunidades britânicas, em Londres e Birmingham.

"As palavras 'cultura', 'tradição' ou 'religião' surgem quando as pessoas tentam explicar a prática absurdamente nociva, mas nos casos de mutilação genital feminina, essas palavras são apenas uma desculpa velada para uma forma ritualizada de abuso infantil", disse Berry.

Jake Berry, parlamentar britânico
Reprodução/Facebook
Jake Berry, parlamentar britânico

Ainda de acordo com o relatório da ONU, em Camarões, até 50% das meninas a partir de 10 anos passam por esta violência diariamente. 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.