Uma simples ida ao cabeleireiro em Nilópolis, Baixada Fluminense, Rio de Janeiro, ganhou um outro significado para quem tem cabelos cacheados e crespos . Quem mudou tudo foi o jovem Hemerson da Silva Santos, mais conhecido como Mestre dos Cachos .


montagem de foto do mestre dos cachos
Instagram/mestre_dos_cachos
De cortes até coloração, o Mestre dos Cachos conquistou o público crespo e cacheado


Aos 21 anos, o cabeleireiro especializado em cacheadas soma mais de 400 mil seguidores no Instagram , 1 milhão de curtidas em sua página no  Facebook e já desenvolveu sua linha própria de produtos para cuidar das madeixas. Mais do que cuidar dos fios, a missão de Hemerson é  trabalhar a autoestima das mulheres que atende.

Hemerson sempre soube que queria trabalhar com cabelos cacheados , mas não tinha condições para investir. Ele trabalhava em outras áreas, como monitor de pula pula e atendente no Mercado de Madureira, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro. Na época, ele precisou ser afastado por motivo de doença e logo em seguida foi demitido.

Para compensar a dispensa, a chefe deu a ele um valor simbólico de R$ 50. “Foi aí que comecei a investir no meu trabalho. Foi com esses R$ 50 que eu comecei”, diz o cabeleireiro. Na época, Hemerson ia de porta em porta oferecendo os serviços. Depois passou a atender na casa da mãe e mais tarde migrou para a casa da avó, onde atende até hoje.

Se antes ele é quem ia até as clientes, hoje a casa da avó amanhece com fila. Cerca de 50 a 60 pessoas aparecem todos os dias para dar um tapa no visual com Hemerson, que atende entre 15 e 25 pessoas por dia. Quem tem prioridade são as primeiras a chegar, que retiram senhas.

“Eu não imaginava que as pessoas competiriam desse jeito, não”, afirma o Mestre dos Cachos após ser questionado sobre se imaginava essa repercussão de seu trabalho. A visibilidade foi além do bairro e do estado do Rio de Janeiro, mas para todo Brasil. “As pessoas me param na rua para tirar foto. Aqui em Madureira eu já não consigo mais nem andar na rua”, conta.


Sua fama já o colocou por trás dos fios das dançarinas  Brunna Gonçalves e Adriana Bombom . Bombom, aliás, é citada por Hemerson como uma grande apoiadora de seu trabalho. “Ela sempre me colocava para cima quando eu ia entregar os produtos para ela. Ela me deu um feedback muito maneiro”, diz o Mestre dos Cachos.

Além do trabalho duro e da dedicação, ele atribui todo esse destaque à Internet. “Um vídeo meu fazendo cabelo tem de 2 milhões a 15 milhões de visualizações, é muita gente. A internet viraliza de uma tal forma que ultrapassa a televisão. Me ajudou muito”, afirma.

Mais do que cortar os cabelos, o Mestre dos Cachos afirma que cada corte é uma história que ele conhece. “Tem gente que faz de tudo no cabelo e não consegue nada, seja um tratamento ou uma coloração”.

Mulheres cacheadas e crespas têm mais chances de sofrer com uma transição capilar por terem escondido os fios naturais por tanto tempo. Na maior parte das vezes, o corte da maior parte dos fios é indicado para ajudar nesse processo. Ao mesmo tempo, é a etapa que mais dá medo nas clientes.

Um dos exemplos desse medo é o de uma garotinha que chegou ao seu espaço de trabalho chorando por precisar cortar o cabelo. Em um vídeo publicado em seu Instagram, ela aparece com o corte novo sorrindo logo depois.


“É horrível esse medo da transição, de estragar o corte. O medo maior, na verdade, não é o de se aceitar, mas é de como as pessoas vão reagir, o que as pessoas vão pensar”, explica o cabeleireiro . Mas ele afirma que o resultado acaba superando as expectativas, devolvendo às mulheres a autoconfiança. “Cada cliente é única e eu mostro isso a elas com muito amor, quero colocar minhas clientes para cima”, diz.

    Veja Também

      Mostrar mais