Tamanho do texto

Há ingredientes que ajudam a manter os cuidados com a pele madura; confira

Com o avançar da idade, a pele sofre diversas mudanças — provocadas tanto pela genética, quanto pela ação de fatores externos que causam envelhecimento. Por causa disso, é essencial seguir uma rotina de cuidados com a pele específica, ainda mais quando você já está na fase madura.

Leia também: Dicas de cuidados e de maquiagem para mulheres acima dos 40 anos

mulher com pele madura arrow-options
shutterstock
Os cuidados com a pele são muito importantes em qualquer idade, mas são ainda mais essenciais na fase madura da vida




Os cuidados com a pele para as mulheres que tem mais de 50 anos de idade são tão importantes quanto aqueles para as mais jovens. Porém, enquanto aos 20 anos o foco são os produtos para controlar a oleosidade, a pele madura precisa de hidratação.

"Entre 25 e 30 anos se inicia a perda de colágeno da pele, há diminuição da produção de ácido hialurônico, perda da elasticidade e firmeza, ocorre o aparecimento das primeiras linhas de expressão, ou seja, se inicia o envelhecimento cutâneo.  As características da pele mudam e consequentemente, os cuidados que devemos ter com ela também", diz Paola Pomerantzeff, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). 

Segundo ela, a rotina ideal sempre deve começar com higienização, tonificação, hidratação e fotoproteção, independente da idade. "Mas a cada fase, alguns ingredientes ativos devem ser adicionados para incrementar os cuidados", complementa. 

Leia também: 8 erros de maquiagem que podem dar um aspecto envelhecido ao rosto

Qual deve ser a rotina para as mulheres com 50+?

pele madura arrow-options
shutterstock
Aos 50 anos, os cuidados com a pele incluem ingredientes e ativos para hidratá-la e deixá-la protegida dos danos externos

A dermatologista Claudia Marçal , que também é membro da SBD e da American Academy Of Dermatology (AAD), explica que entre as mudanças que acontecem com a pele ao longo do tempo está a redução da elasticidade e da oleosidade, além de ficar mais fina e sensível. Assim, é importante colocar na rotina ingredientes e ativos que auxiliem isso. 

"Como a função de barreira da pele enfraquece, ela fica seca e incapaz de reter a hidratação suficiente por si só. É recomendado incluir vitamina D, nanoconjugados de silício orgânico e tetrapeptídeos que melhorem o apoio estrutural da pele, além de ativos para melhora da nutrição celular, fornecendo vitaminas e aminoácidos", diz.

Paola complementa que na hora de limpar a pele, é indicado usar loções hidratantes e, depois, tônicos calmantes. "Os hidratantes devem ser em cremes (mais "pesados", que realmente hidratem), que devem conter princípios ativos que tratem as necessidades." 

Ácido hialiurônico, que hidrata e tem efeito de preenchimento na derme quando com baixo peso molecular, antioxidantes, agentes tensores, estimuladores de colágeno e clareadores, se necessários, são alguns dos ingredientes. Outro produto importante é o protetor solar , que funciona como uma "barreira" para manter a hidratação e, ainda, protege dos dados externos.

É importante lembrar que, antes de testar qualquer produto, a consulta com o dermatologista é essencial. Além de indicar os melhores ativos para a sua pele, o profissional também pode te explicar sobre procedimentos complementares, como lasers, peelings, preenchedores com ácido hialurônico, toxina botulínica e bioestimuladores de colágeno injetáveis. 

Com que idade é importante começar os cuidados com a pele?

pele madura arrow-options
shutterstock
Os cuidados com a pele devem começar muito antes dos 50 anos, ainda na juventude, para manter a beleza sempre em dia

As especialistas concordam que os cuidados com a pele devem começar desde cedo, com uma boa limpeza, hidratação e fotoproteção. "A pele deve ser protegida contra a ação danosa dos agressores ambientais, sendo o principal deles a radiação solar", comenta Claudia. 

"Estima-se que recebemos 80% de toda a radiação solar da nossa vida até os 18 anos de idade, mas os danos causados por essa radiação 'recebida' na infância e adolescência só serão percebidos na pele muitos anos depois", finaliza Paola.