Tamanho do texto

Segundo estudo, os casos de alergia no Reino Unido e na Irlanda por causa de procedimentos nas unhas aumentaram; aprenda como evitar esse problema

Existem várias opções para quem quer fazer alongamento de unhas. Entre as técnicas que são usadas pelas mulheres que querem ter "unhas de gato" estão as que usam gel, porcelana, fibra de vidro ou até acrílico. Porém, assim como no caso de qualquer outro procedimento estético, é preciso prestar muita atenção para não "dar ruim"

alongamento de unhas
shutterstock
Segundo estudo, a quantidade de alergia após procedimento de alongamento de unhas aumentou no Reino Unido e Irlanda



No ano passado,  Karolina Jasko , uma miss de concursos de beleza nos Estados Unidos, teve câncer de pele de tanto fazer alongamento de unhas com gel. Ela descobriu que essa técnica exige que as unhas sejam expostas a luz ultravioleta, cuja radiação é extremamente prejudicial à saúde e precisou remover uma de suas unhas naturais para se livrar do tumor.

Outra questão são os produtos químicos acrílicos, os principais ingredientes presentes em unhas de acrílico, gel e de polimento de gel. Segundo a Associação Britânica de Dermatologistas, essas substâncias estão causando uma epidemia de alergia de contato no Reino Unido e na Irlanda. No Brasil, os casos também aumentaram. 

Um estudo da associação analisou três tipos principais de aprimoramentos de unhas contendo metacrilatos: unhas de gel, unhas acrílicas e com polimento de gel, e descobriu que 2,4% das pessoas testadas tinham alergia a pelo menos uma dessas substâncias. 

A dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica que isso acontece principalmente porque as mulheres começaram a apostar nessas técnicas pela falta de tempo para frequentar a manicure semanalmente e, também, porque as unhas de gel ou acrílico são mais simples de manter. 

“Por conta disso, começamos a perceber uma quantidade maior de casos de hipersensibilidade por reação cruzada a outras substâncias. As alergias acontecem não só na matriz da unha , que se torna ressecada, mas também na cutícula, que acaba ficando toda talhada. Também pode ocorrer um edema (inchaço) e eritema (rosa avermelhado) ao redor da unha”, afirma. 

O que pode causar alergia no alongamento de unhas?

alongamento de unhas
shutterstock
A alergia é bastante comum se você tenta fazer alongamento de unhas sozinha ou com profissionais com pouca experiência

A alergia acontece quando os químicos entram em contato com qualquer parte da pele que é sensível e é muito provável de acontecer se as pessoas aplicam o produto sozinhas ou com profissionais sem treinamento suficiente. “É necessário ser extremamente cauteloso com kits caseiros, que podem aumentar o risco do paciente desenvolver uma alergia”, explica Claudia.

Valéria Marcondes, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), complementa que profissionais especializados nessas técnicas podem evitar que fungos e bactérias entrem por espaços embaixo da unha, por exemplo. 

A dermatologista ainda diz que é importante que você saiba se pode fazer alongamento antes de aplicar qualquer tipo de unha. “Nem todas as pessoas podem usar as unhas postiças: há pessoas com doenças na pele ou nas unhas que não devem usar", comenta. 

Assim, alérgicos a componentes do adesivo, pessoas com a pele sensível, com psoríase da unha e infecção, por exemplo, devem evitar esses procedimentos porque o trauma pode causar quadros mais graves de doenças de pele ou nas unhas, como câncer. 

“As reações alérgicas podem envolver o afrouxamento das unhas ou uma vermelhidão com comichão, não apenas nas pontas dos dedos, mas potencialmente em qualquer parte do corpo que tenha entrado em contato com as unhas, incluindo as pálpebras, face, pescoço e região genital. Muito raramente podem ocorrer sintomas como problemas respiratórios", diz. 

“Os sinais de bactérias são pontos esverdeados nas unhas e fungos pontos amarelados e pretos. Sempre que aparecerem estes sintomas deve-se retirar o material. Como muitas vezes ele deixa a lâmina das unhas mais finas e quebradiças, o ideal é nunca retirá-lo sozinha pois pode danificar ainda mais, então procure um profissional", completa Claudia.

"Deu ruim" no alongamento de unha; e agora? 

alongamento de unhas
shutterstock
Se o alongamento de unhas causou alergia, o principal passo é consultar um dermatologista que possa indicar tratamento

Se você fez alongamento de unha e percebeu que alguma coisa está errada, se sua unha ficou mais fraca, fina ou quebradiça, ou se há sinais de alergia, o ideal é procurar um dermatologista. O profissional irá recomendar um tratamento e pode indicar fórmulas para fortalecer as unhas.

Para recuperar as unhas, é necessário ficar no mínimo seis  meses sem reaplicar o produto e deixar as unhas curtas, além de seguir a orientação médica.

“A verdade é que muitas mulheres sofrem com essas alergias e permanecem sem diagnóstico, porque elas podem não vincular seus sintomas às unhas, especialmente se ocorrerem em outras partes do corpo. É importante que eles obtenham um diagnóstico para que possam evitar o alérgeno, mas também porque o desenvolvimento de uma alergia a esses produtos químicos pode ter consequências”, afirma Claudia. 

Além disso, todas as formas de alongamento trazem algum dano às unhas originais,  deixando-as fracas e fáceis de quebrar. Na técnica de unha de porcelana, por exemplo, usa-se um líquido e um pó acrílico, o que faz com que a unha fique um pouco ‘arenosa’ e áspera.

“Para que o alongamento de unhas dure mais e não cause problemas, o ideal é usar luvas para lavar louça, evitar contato com água muito quente, evitar o contato com solventes de tintas ou acetona e fazer a manutenção a cada 15 dias. Cremes hidratantes e bases são ótimos aliados para evitar que as cutículas se ressequem e estraguem a unha”, finaliza Valéria.