Tamanho do texto

Na Páscoa, especialistas pedem para evitar o consumo exagerado de chocolate e falam dos riscos e benefícios do alimento para o corpo

A Páscoa é o período do ano em que o consumo de chocolate aumenta significativamente e, junto com isso, crescem as preocupações com os riscos e benefícios que ele proporciona para o corpo, sendo o mais recomendado por especialistas o consumo do chocolate amargo.

Leia também: Máscaras faciais de chocolate: veja receitas para fazer durante a Páscoa

chocolate amargo
shutterstock
Chocolate amargo é indicado por proporcionar benefícios para a pele, cabelos, unhas e melhorar o sistema cardiovascular


Fazendo as escolhas certas - nada de recheios e caprichando no teor de cacau -, dermatologistas garantem que o alimento pode melhorar a saúde de unhas, cabelos e pele. “Em doses moderadas e dando preferência ao chocolate amargo , o produto é bom, pois possui antioxidantes, gorduras boas, vitaminas e minerais”, explica a médica Mônica Fialho.

O chocolate e a pele: qual o melhor e qual o pior?

chocolate amargo
shutterstock
Chocolate amargo é um importante aliado da pele, caso consumido em pequenas quantidades


Uma substância chamada polifenol, que está presente nos chocolates, atua positivamente na pele. “Pelas fortes propriedades antioxidantes, ajuda a combater os radicais livres que são como minúsculos ladrões que roubam o oxigênio de suas células e fazem com que elas se tornem inflamadas”, explica a dermatologista Daniela Neves.

A médica Claudia Marçal alerta que chocolate branco e o ao leite devem ser evitados “por conta da quantidade de açúcar e gordura presente nesses produtos, que podem favorecer a inflamação e envelhecer a pele”.

A melhor opção para, principalmente, pessoas com pele seca, é o chocolate amargo, com 50% ou 70% de cacau - olha o chocolate amargo de novo. “Ele ajuda a combater doenças cardiovasculares, tem ação antioxidante e anti-inflamatória. Além disso, as versões deste chocolate com oleaginosas trazem mais benefícios e nutrientes”, diz Claudia.

A médica avisa que a dose recomendada desse alimento é de 30 gramas ao dia. “Portanto, um ovo de Páscoa pode ser consumido, em média, em uma semana”, aconselha a dermatologista.

Leia também: Chocolate amargo antes da refeição ajuda quem quer emagrecer, aponta pesquisa

O chocolate e os cabelos e unhas

chocolate amargo
shutterstock
Os chocolates são ricos em nutrientes e vitaminas que melhoram a saúde de cabelos e unhas


Além de ser ótimo para a saúde da pele, o doce também é um importante aliado da beleza de cabelos e unhas por causa da presença de oligoelemento, que possui ação antioxidante, hidratante e nutritiva.

“O ingrediente é rico em ácidos graxos, responsáveis por evitar o ressecamento e a perda de água, magnésio, potássio, cafeína e vitaminas A, D, E e K, que hidratam e tonificam”, afirma Mônica Fialho.

Consumir chocolate causa acne?

chocolate amargo
shutterstock
O chocolate é constantemente associado ao surgimento de espinhas na pele


Saber se o chocolate contribui ou não para o surgimento da acne é um dos questionamentos mais comuns das pessoas. De acordo com Claudia Marçal, o cacau proporciona muitos benefícios para a saúde e é, mais uma vez, um importante aliado para a pele.

“Ele é um poderoso antioxidante e ajuda a promover luminosidade e hidratação, por conter flavonoides, que auxiliam na proteção aos danos dos raios UV, prevenindo as rugas e combatendo os radicais livres que ajudam a deixar a pele mais brilhante e saudável”, garante a médica.

A dermatologista enfatiza que o cacau não causa espinhas, mas é preciso ter atenção ao açúcar e as gorduras presentes no chocolate. “Alimentos com gorduras, açúcares e hidratos de carbono, como os chocolates ao leite e branco, têm alto índice glicêmico”, inicia. Por isso o chocolate amargo, que contém mais cacau e menos gordura que ao leite, por exemplo, é, de novo, o indicado. 

“Muitos estudos sugerem que a alta carga glicêmica está envolvida com a ocorrência e gravidade da acne em pacientes predispostos. A gordura e o leite dos chocolates podem colaborar também para o agravamento do quadro”, completa.

Leia também: 17 delícias para ter uma Páscoa saudável - com chocolate - e não sair da dieta

Moderação sempre é o segredo

chocolate amargo
shutterstock
Se consumido em pequenas quantidades, o chocolate pode ajudar a melhorar a saúde do corpo


Segundo a dermatologista Mônica Fialho, o consumo de chocolates, em geral, exige cautela. “Para aproveitar os benefícios do produto para a pele, cabelos e unhas, é necessário apreciá-lo com moderação, já que é um alimento calórico, rico em gordura e açúcar”, declara.

A médica enfatiza que o consumo exagerado pode ocasionar em ganho de peso , obesidade e aumento da glicemia e, por isso, o chocolate amargo é o mais indicado, porém ainda em pequenas quantidades. Daniela Neves ressalta que a versão amarga “pode reduzir o risco de doença cardíaca e melhorar a função cerebral”.