Tamanho do texto

Apesar de ter recompensado Lillian Paul financeiramente, o salão em que ela fez o procedimento não se responsabilizou pelas queimaduras em seu rosto

Procedimentos estéticos podem dar muito certo ou muito errado  . No caso de Lillian Paul, foi a segunda opção e, agora, ela está tendo de lidar com as cicatrizes de queimaduras graves no rosto depois de fazer uma sessão de depilação a laser. 

mulher com rosto queimado após sessão de depilação a laser
Reprodução/Channel 9
A australiana Lillian Paul ficou com queimaduras graves no rosto após passar por uma sessão de depilação a laser



Em entrevista ao programa de televisão australiano A Current Affair ,  exibido pelo Channel 9, Lillian conta que decidiu experimentar a  depilação a laser  pela primeira vez em um salão de Melbourne, na Austrália, esperando ficar livre dos pelos definitivamente. Porém, o procedimento removeu a pigmentação de parte de seu rosto e causou queimaduras.  

Por causa disso, ela precisou sair do emprego por dois meses, evitar a luz do sol por um ano e passar por um tratamento "absurdamente doloroso", como ela descreve, para ajudar na cicatrização.

"Tive que descascar minha pele e isso foi muito doloroso. Era uma pele grossa e queimada sendo arrancada do meu rosto. Fazia isso duas vezes por semana", detalha ao programa.

Lillian lembra que os médicos que a atenteram no hospital depois do procedimento afirmaram que levaria meses ou até anos para que a pele dela se recuperasse completamente da queimaduras, algo que ainda não aconteceu. "Não me sinto confortável para exibir as cicatrizes e só saio de casa com muita maquiagem para cobrir todas as marcas", afirma 

O salão devolveu todo o dinheiro que a australiana gastou com o procedimento, mas não se responsabilizou pelas queimaduras .

Depilação a laser requer cuidados e pesquisa prévia

undefined
shutterstock
Segundo dermatologista, há, sim, um risco de ficar com queimaduras após a depilação a laser

Ao Delas , o dermatologista  Abdo SalomãoJr., membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Academia Americana de Dermatologia (AAD), explica que alguns tipos de lasers têm ação direta sobre a superfície da pele e podem, sim, causar queimaduras.

Entretanto, isso também vai depender do quanto de melanina você tem na pele. "O fototipo alto, ou seja, peles negras, tem muito pigmento na epiderme, que normalmente é sensível aos lasers. Os lasers devem atingir diretamente o bulbo capilar, onde se produz o pelo. Então, somente equipamentos com capacidade alta de penetração são eficientes."

Assim, a melhor coisa antes de se fazer depilação a laser é pesquisar sobre todos esses fatores, descobrindo qual o melhor procedimento para a sua pele. Além disso, faça uma pesquisa prévia sobre as clínicas que oferecem esse serviço e, também, faça uma visita ao dermatologista para dicas de cuidados. Afinal, precaução é importante, certo? 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.