Tamanho do texto

Você acha que umbigos são bonitos? Então fique sabendo que dá para mudar essa realidade através de procedimentos estéticos, como cirurgia plástica

"Você mudaria a aparência do seu umbigo? Por quê?". Essa é uma pergunta que está sendo bastante discutida depois que cirurgia plástica para essa parte do corpo virou uma tendência de beleza fora do Brasil. Não, você não leu errado. As pessoas realmente estão operando o umbigo para deixá-lo esteticamente mais bonito. 

Leia também: Necessidade ou pressão estética? O que está em jogo na cirurgia plástica

Fora do Brasil, as pessoas já estão pensando em mudar a aparência do umbigo através de procedimentos estéticos
shutterstock
Fora do Brasil, as pessoas já estão pensando em mudar a aparência do umbigo através de procedimentos estéticos


Segundo informações do portal britânico "Daily Mail", diversos especialistas estrangeiros já notaram o crescimento em cirurgias plásticas no umbigo para que ele fique mais "esteticamente aceitável". Entre os umbigos considerados "ideais" e mais pedidos pelas clientes estão o da atriz e cantora Jessica Simpson e o da modelo Emily Ratajkowski.


Se você se interessou pelo tema, deve estar se perguntando como funciona essa cirurgia, também conhecida pelos médicos como "onfaloplastia". O termo se refere a qualquer procedimento que altere apenas esse parte do corpo e, de acordo com o cirurgião plástico Francisco Alionis Neto, podem tanto melhorar a aparência, quanto corrigir deformidades, tais como hérnias, malformações e cicatrizes causados por piercing e pela gravidez. 

Mas parece que por aqui, só a cirurgia estética não faz tanto sucesso. O especialista explica ao Delas que o motivo mais frequente de uma cirurgia nessa região é para a correção de hérnias, seguido pelas abdominoplastias. "A cirurgia estética exclusiva nessa área ainda é rara e tem indicação restrita, sendo que na maioria das vezes a paciente que procura o médico devido a aparência do umbigo tem indicação de outro procedimento associado, como a abdominoplastia", diz. 

Leia também: Adolescente faz tratamento para acne com chá verde e mel, mas isso funciona?

Tipos de cirurgia

Se o procedimento está ligado à outros, também possui nomes alternativos. A correção de hérnia, por exemplo, é chamada "herniorrafia umbilical". E outras cirurgias que alteram a forma e melhoram a aparência dessa região são a "dermolipectomia abdominal", também conhecida como abdominoplastia — procedimento para remover gordura e pele em excesso do abdômen —, e a mini-abdominoplastia, com reposicionamento da cicatriz umbilical.

Nesses casos,  os procedimentos também são diferentes entre si. "A correção de hérnia é baseada no fechamento e reforço da musculatura e camada que a recobre", explica o profissional. "Já nos procedimentos estéticos, a grande diferença é que na abdminoplastia convencional há reimplante do umbigo, enquanto na mini-abdominoplastia essa parte é mantida e somente reposicionado para perder a aparência conhecida como 'triste' ou formato de 'U'". 

Leia também: Com influência de famosas, clareamento anal está virando tendência

Cirurgia estética é supérflua?

Muitas vezes, as pessoa que querem modificar a aparência de um detalhe do corpo como este são chamadas de supérfluas. Entretanto, Wendell Uguetto, cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), afirma que essa é uma questão que deve ser avaliada juntamente com um profissional especializado e de confiança. 

"Teoricamente, qualquer paciente maior de idade tem o direito de alterar algo em seu corpo ou em sua face. É muito difícil avaliar o que é necessário ou chamado de supérfluo numa cirurgia estética, pois muitas vezes o que incomoda uma pessoa não necessariamente irá incomodar outras pessoas." Assim, profissional explica que geralmente é avaliado se a queixa do paciente é condizente e se a cirurgia proposta possa de fato resolver esta queixa. Se a resposta for sim, acredite: até a aparência estética do seu umbigo pode ser alterara. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.