Infidelidade aumentou na pandemia de Covid-19
shutterstock
Infidelidade aumentou na pandemia de Covid-19


Relacionamentos adúlteros cresceram na pandemia da Covid-19. Segundo o levantamento do site Ashley Madison, líder global em namoro infiel, o Brasil apresenta o maior crescimento de usuários cadastrados, com 12,5 milhões de usuários cadastrados na plataforma. De março de 2020 até agora, foram registradas 1,7 milhão de contas no Brasil. 


Além do crescimento, o levantamento mostrou as cidades brasileiras mais ativas na plataforma. No período de junho a setembro de 2020: Brasília, Goiânia, Manaus são as cidades que aparecem nas primeiras posições. Logo após, vem São Paulo, Curitiba, Campo Grande e Guarulhos. Belo Horizonte, Porto Alegre, Campinas, João Pessoa, São Luís e Rio de Janeiro são vistos em seguida. Por fim, Natal, São Bernardo do Campo, Santo André, Salvador, Recife, Duque de Caxias e Teresina fecham o ranking.

Você viu?

Nas novas contas, 196 mil foram ao estado de São Paulo e 102 mil vieram do Rio de Janeiro. Além disso, a Ashley Madison aponta a faixa etária de cada cidade participante do ranking de perfis ativos na plataforma. 

  • Santo André - 35,9
  • Rio de Janeiro - 35,7
  • Belo Horizonte - 35,4
  • Porto Alegre - 35,4
  • São Bernardo do Campo - 35,2
  • Curitiba - 35,1
  • Salvador - 35,0
  • Campinas - 34,8
  • São Paulo - 34,5
  • Duque de Caxias - 34,4
  • Campo Grande - 34,1
  • Brasília - 34,0
  • Recife - 33,9
  • Guarulhos - 33,7
  • João Pessoa - 33,5
  • Natal - 33,5
  • São Luís - 32,7
  • Goiânia - 32,6
  • Teresina - 32,5
  • Manaus - 32,2

O porquê das aventuras acontecerem

Segundo o site Vida e Estilo do Terra, há estudos de terapeutas de casais que mostram que há, pelo menos, 9 motivos reais para que os relacionamentos extraconjugais aconteçam de forma frequente.

Motivos que vão desde variedade no cardápio, passando por curiosidade e terminando até autoafirmação e carência. E é possível acrescentar um motivo, pelo qual a sociedade global está atravessando desde o começo de 2020: a pandemia e o isolamento social.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários