A ex-BBB Mari Gonzalez movimentou seu Instagram com um box de perguntas e respostas para o público. Uma de suas seguidoras comentou que o marido queria apimentar a relação e pediu a ajuda da modelo. 

mari
Reprodução/Instagram
Mari Gonzalez indicou o uso de algemas para apimentar a relação


A resposta de Mari foi simples: algemas . Parece ser dessa forma que ela apimenta a relação com o namorado Jonas Sulzbach, ela não é a única. Muitos casais recorrem aos brinquedos sexuais para fugir do comum na relação sexual, incluindo a algema. Para Danilo Galante, urologista com doutorado na USP e membro da Sociedade Brasileira de Urologia, esse é um recurso comum para quem gosta de encenar a submissão.

"A algema é uma forma de submissão, você segura a pessoa, aprisiona ela enquanto você pode usá-la sem que ela possa se defender", explica. O uso de algemas, chicotes e máscaras na relação sexual também têm a ver com o sadomasoquismo e precisa do consentimento mútuo para acontecer.

"Só usar a algema não significa um grau alto de sadomasoquismo, tem vários graus. O importante é entender que fetiche não é doença, não é parafilia, o sadomasoquismo só é uma doença se atrapalhar a saúde mental de um ou dos dois", comenta o urologista.

Quero começar a usar brinquedos sexuais com meu parceiro, como falo com ele?

"Para entrar nesse tipo de assunto a pessoa pode começar comentando que viu num filme ou numa reportagem. A pessoa que tem interesse, ela deve procurar isso e colocar na frente do parceiro e ver a reação. Se sentir que teve uma aceitação, comenta que um vizinho ou amigo fez e que foi bem legal e pergunta 'Qual sua opinião?', porque as vezes os parceiros aceitam, mas com algumas limitações", orienta Galante.

"Tem que saber qual é o limite da outra pessoa e até aonde ela quer participar. Se um dos dois não quiser, paciência, não vai existir a prática", completa o médico. 

Quais brinquedos sexuais usar para começar?

vibrador
shutterstock
Vibradores são os brinquedos sexuais preferidos das mulheres

Se o parceiro aceitou apimentar a relação, o urologista indica géis e vibradores menores para quem quer começar. Pela falta de prática, esses são os modelos menos invasivos e que não vão assustar seu parceiro.

“Não adianta comprar uma brinquedoteca e fazer vários lançamentos. Tem que ir aos poucos. Se a pessoa mais interessada for a mulher, tem que ser algo que dê prazer a ela”, comenta o médico. Nesses casos, os mais usados são vibradores e pênis de borracha.

Mas se o interessado é o homem, os modelos mais usados são os anéis penianos. Galante, no entanto, tem reticências quanto ao seu uso.

“Já vi muito acidente com anel peniano. A ideia é aumentar a dureza do pênis com congestão e aí você dificulta que tenha a saída de sangue. Alguns anéis não são fáceis de ser retirados. Já vi alguns casos do paciente ter que parar no pronto-socorro e o cara ter sérios problemas”, ressalta. A dica é investir em anéis de borracha.

Leia também: Conheça 8 brinquedos sexuais para você testar em casa

Entre as principais dicas do urologista sobre o uso dos  brinquedos sexuais estão:

  • Se o casal nunca usou, opte por tamanhos pequenos;
  • Use lubrificante;
  • Use preservativo nos brinquedos sexuais;
  • Após utilizá-los, lave com água e sabonete para não proliferar bactérias

    Veja Também

      Mostrar mais