Ficar longe de quem se ama pode ser angustiante. Com a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) impondo quarentena e até lockdown em alguns estados, casais de namorados resolveram juntar as escovas de dentes antes do previsto e enfrentar esse momento juntos.

Leia também: Motéis abrem durante pandemia e relativizam regras de aglomeração

escovas
Reprodução
Muitos casais de namorados resolveram "juntar as escovas de dente" nessa quarentena

Luana Alves e a namorada Helô acabaram dividindo a casa por logística. “A cerca de um mês e meio atrás, vim pra cá e fiquei uma semana. Depois, voltei para minha casa e fui pra dela novamente depois de uma semana. Fiquei 15 dias. Voltei para minha novamente, fiquei por uma semana e conversamos que esse vai e vem não fazia sentido, era melhor eu ficar de vez”, conta Luana.

Juntas há sete meses, as duas já tinham cogitado morar junto , mas ainda como uma brincadeira que acabou virando realidade na quarentena. 

Já Pérola e Jorge estão juntos nesse momento em um “treinamento intensivo” da vida de casados. Namorando há 13 anos, o casal comprou recentemente um apartamento e decidiu compartilhar a casa durante a quarentena pela praticidade.

“A ideia de fazer o home-office juntos foi do Jorge, como ele mora com os pais e eu moro sozinha, além de me fazer companhia na quarentena, na minha casa a infraestrutura para o trabalho é melhor, mais tranquilo”, explica Pérola.

Os desafios do convívio diário

casal
Arquivo pessoal
Pérola e Jorge namoram há 13 anos e estão dividindo a casa nessa quarentena

Qualquer mudança de rotina é desgastante. Imagina morar sozinha por anos e, de repente, ter que dividir seu espaço 24 horas? “É uma rotina diferente, mais intensa em todos os sentidos, dormir e acordar com uma pessoa que você só via aos finais de semana tem sido um teste, já que em breve iremos morar juntos definitivo”, comenta Pérola.

Essa nova rotina parece estar ensinando muito ao casal. “Nesse tempo aprendi a respeitar o espaço dela, afinal eu que 'invadi' a rotina que ela tinha, e também a ter mais diálogo”, comenta Jorge.

Na casa da Luana e Helô a convivência nem é tão intensa assim por conta do trabalho das duas. Luana é psicóloga e tem feito atendimentos online durante a pandemia. Helô trabalha numa UBS e de vez em quando faz plantões aos fins de semana. As duas não passam muito tempo juntas durante a semana, mas tentam aproveitar o máximo quando podem.

Ainda assim, o  respeito  também está sendo construído na casa das mulheres. No tempo compartilhado já deu para perceber as diferenças uma na outra. “Ela me falava que era meio bagunceira no quarto, agora pude comprovar, além de dormir em quase todo filme que assiste", brinca Luana.

"Nesse tempo aprendi a respeitar mais o espaço dela, porque ela fica bastante tempo fora de casa por trabalhar em serviços de saúde. Chega bem cansada, as vezes, fica mal das coisas que viveu no hospital. Daí me preocupou de não estar "comendo" muito do espaço que ela pode ter com ela mesma. Também aprendi a cuidar mais do outro”, completa a psicóloga.

Leia também: "Se tocar é revolucionário", diz ex-BBB Marcela

Também tem relatos de dividir a casa com o  namorado /namorada? Comente abaixo e conte sua experiência.

    Veja Também

      Mostrar mais