Tamanho do texto

Especialista explica os riscos e os cuidados que um casal soropositivo deve ter na hora de uma relação sexual, mesmo quando o vírus está indetectável

O vírus do HIV ainda é um assunto que gera diversas dúvidas e assombra muitas pessoas. Uma leitora do Delas, por exemplo, vive com o vírus e quer saber se ela pode ter relações sexuais com outra pessoa que também possui HIV. Ela também quer saber se é possível descobrir há quanto tempo a pessoa vive com o vírus.

Leia também: A pílula do dia seguinte é abortiva? Delas responde dúvida de leitora

Um casal que vive com HIV precisa ter relações sexuais com camisinha para evitar vários tipos de problemas
shutterstock
Um casal que vive com HIV precisa ter relações sexuais com camisinha para evitar vários tipos de problemas


O coordenador de Assistência do Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo, Robinson Fernandes de Camargo, diz ao Delas que duas pessoas que vivem com o vírus do HIV podem ter relações sexuais normalmente, mas não devem deixar o preservativo de lado, isso porque o HIV possui variedades genéticas que podem agravar o caso de uma pessoa já infectada.

“O vírus pode ser classificado em dois tipos principais: HIV-1 e HIV-2. Além disso, possui diversos subtipos, como B e C, também apresenta formas recombinantes circulantes e formas recombinantes únicas. Toda essa diversidade viral impacta no diagnóstico, no monitoramento e no tipo de terapia”, explica Robinson.

Para simplificar, o especialista diz que isso significa que, mesmo que uma pessoa já esteja vivendo com o HIV, ela pode ser reinfectada, piorando, desta forma, sua carga viral (quantidade de vírus no corpo). “Também há possibilidade de se reinfectar com um vírus diferente por formas recombinantes e por vírus que são resistentes aos antirretrovirais.”

Fora tudo isso, Robinson alerta que a camisinha também previne outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) que podem ser bem prejudiciais para quem está com o sistema imunológico vulnerável.

Cuidados que o casal que vive com o vírus do HIV deve ter

O tratamento do vírus do HIV não deve ser abandonado e isso é importante para manter a carga viral indetectável
shutterstock
O tratamento do vírus do HIV não deve ser abandonado e isso é importante para manter a carga viral indetectável


Quem vive com o HIV não deve deixar o tratamento de lado e, ao descobrir, ele deve ser iniciado o quanto antes. O especialista enfatiza que é fundamental manter a terapia antirretroviral (TARV), pois ela tem o intuito de diminuir a quantidade de vírus no corpo até não aparecer mais no exame de sangue. Quando se chega nesse ponto, a pessoa se torna indetectável.

Leia também: Hímen complacente causa mais dor na hora do sexo? Delas responde

“As pessoas que estão há pelo menos seis meses indetectáveis se tornam intransmissíveis para o HIV, ou seja, não transmitem o vírus”, comenta Robinson.

Vale ressaltar que quando há um uso irregular dos antirretrovirais o vírus só fica mais resistente e se uma pessoa possui um vírus que seja resistente a algum TARV, ela pode transmitir esse vírus para os outros.

A leitora também questionou se é possível descobrir a quanto tempo uma pessoa vive com o HIV e Robinson fala que não dá para determinar isso de forma segura, pois não existe nenhum exame que especifique tal informação.

Camisinha sempre

A camisinha previne o vírus do HIV e as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), além da gravidez indesejada
shutterstock
A camisinha previne o vírus do HIV e as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), além da gravidez indesejada


A camisinha é uma forma segura de prevenção que é distribuída gratuitamente em diversos serviços de saúde. Além do HIV, esse preservativo evita o contato com outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), como sífilis e gonorreia, e ainda previne a gravidez não planejada. Vale lembrar que o uso da camisinha também é recomendado no sexo oral e no sexo anal.

Tem dúvidas sobre sexo, sexualidade ou posições sexuais ? Entre em contato conosco pelo   sexo@igcorp.com.br  e nós traremos um especialista para respondê-la com sigilo total, assim como nesta reportagem sobre o vírus do HIV  .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas