Tamanho do texto

Variar as posições sexuais e testar novas opções pode ser uma boa forma de manter as coisas animadas entre quatro paredes; embarque no desafio!

Com o passar dos anos, é normal que aquele fogo todo do início de um relacionamento acabe dando uma boa esfriada, mas isso não é motivo para deixar a vida sexual cair na rotina. Apostar na realização de um fetiche , descobrir uma nova posição sexual e até buscar jogos eróticos simples são formas de tornar esse momento a dois mais divertido mesmo que a rotina atribulada não permita muito tempo livre para isso.

Como a mulher fica de quatro enquanto o homem controla a relação, esta posição sexual é boa para as mais submissas
Shutterstock
Como a mulher fica de quatro enquanto o homem controla a relação, esta posição sexual é boa para as mais submissas

Pensando nisso, alguns casais começaram a adaptar o desafio dos 30 dias – em que os participantes repetem uma atividade durante todos os dias de um mês, fazendo algo novo no processo a cada dia – para o sexo, introduzindo uma novidade no sexo a cada dia desse período. Pensando nisso, o Delas resolveu passar o mês de maio inteiro sugerindo uma posição sexual por dia e explicar alguns detalhes sobre elas para quem está a fim de se aventurar em novas experiências.

A ideia do desafio é simples: testar uma nova opção todos os dias. Ainda que a lista esteja em ordem, porém, saiba que é possível começar a brincadeira a qualquer momento e partindo de qualquer posição, já que o que importa mesmo é a diversão, o prazer, a camisinha e, acima de tudo, o consentimento de todos os envolvidos.

Clique aqui para ver todas as posições listadas até agora

Apesar de normalmente essa posição sexual proporcionar uma penetração profunda que não agrada todas as mulheres, há formas de adaptá-la para os gostos de cada um.

26º dia - "Dominação de quatro"

Nesta posição sexual, a mulher fica de quatro, apoiando-se nos joelhos e cotovelos, enquanto o homem a penetra por trás
Renato Munhoz (Arte iG)
Nesta posição sexual, a mulher fica de quatro, apoiando-se nos joelhos e cotovelos, enquanto o homem a penetra por trás

Ao lado da famosa “papai e mamãe”, esta é uma das posições sexuais mais clássicas – e, além disso, uma das que os homens mais costumam curtir. Isso porque, para os que gostam da ideia de dominância, esta posição sexual permite o controle dos movimentos e também submissão total por parte da parceira. Além disso, outro fator que costuma fazer essa opção cair nas graças deles é a visão privilegiada que ela proporciona durante o sexo.

Entre as mulheres, porém, ela não é sucesso absoluto. Há algumas que amam, sim, esta posição sexual, mas, como ela proporciona uma penetração mais profunda e “exige” submissão, há as que considerem essa opção algo bastante desconfortável. Na versão clássica, a mulher fica de quatro, apoiando joelhos e cotovelos na superfície em que o casal estiver enquanto o homem a penetra por trás, ajoelhado, mas há diversas formas igualmente sensuais de variá-la.

Para quem ela é boa?

Invariavelmente, essa posição é boa para casais que curtem uma relação de dominação e submissão – ou para os que querem experimentar algo assim para variar. Ela também é uma das posições mais comuns para quem gosta de sexo anal - lembrando, porém, que ela não é a mais indicada para quem ainda está se iniciando na prática . No entanto, há também questões anatômicas que devem ser levadas em consideração na hora de optar por ela ou uma de suas variações.

Como o pênis vai mais fundo nesta posição, ela é boa para mulheres que curtem ter a região do ponto A estimulada. Apesar de esse ponto não ser um consenso para a medicina quando o assunto é a diferença anatômica entre ele e o restante da vagina, ginecologistas afirmam que, para algumas mulheres, estimular a "dobrinha" formada entre o canal vaginal e o início do colo do útero pode, sim, ser prazeroso.

Conforme explica especialistas, isso não acontece porque a região tem mais terminações nervosas ou outra característica especial, mas porque, para algumas mulheres, a “movimentação” que a penetração causa no colo do útero traz uma sensação diferenciada. Tanto para quem gosta para quem não gosta disso, porém, é possível partir para variações.

Como variar?

Se você é do time que curte penetração profunda, precisa saber que, quanto mais elevado estiver seu quadril, mais propícia a posição fica para isso. Uma opção é a de a mulher se inclinar, abaixando a parte superior do corpo e “empinando” o bumbum, já que, mudando o ângulo, a região íntima da mulher fica ainda mais exposta.

Já se a ideia é testar um ângulo de penetração como esse, em que o homem fica por trás, uma opção é a mulher se deitar completamente enquanto o parceiro se sustenta usando os braços sobre ela enquanto a penetra. Aqui, o bumbum da mulher fica “no caminho”, e o ângulo proporciona uma penetração mais “rasa”.

Se a mulher não curtir uma penetração muito profunda, uma opção é o casal se deitar completamente
Renato Munhoz (Arte iG)
Se a mulher não curtir uma penetração muito profunda, uma opção é o casal se deitar completamente

Outra opção interessante para deixar a posição mais confortável é apostar nos travesseiros . Tanto na primeira opção quanto na segunda, ele eles podem ser colocados sob a barriga ou o quadril da mulher. Ao mesmo tempo em que isso funciona para deixá-la mais confortável, também ajuda a “regular” o ângulo da penetração conforme o casal achar melhor.

Estímulos extra

Por já promover uma ideia de dominação e submissão, esta posição é ótima para testar algumas práticas relacionadas ao BDSM (bondage, disciplina, sadismo e masoquismo) – sempre, é claro, consensualmente, de acordo com os limites de cada um e com uma palavra de segurança previamente combinada entre os dois.

Dar tapinhas no bumbum da mulher ou usar brinquedos eróticos voltados para esse tipo de prática é uma opção, assim como segurar os cabelos dela, puxando-os de leve. Outra opção é restringir os movimentos dela, algo que, para muitas pessoas, é bastante excitante. Para isso, é possível usar desde as mãos até algemas ou peças de roupa que possam amarrar as mãos dela às costas.

Caso a mulher esteja usando os braços para se manter na posição, pode ser difícil conseguir usar uma das mãos para estimular o clitóris durante o ato, mas, com a ajuda dos travesseiros, ela ganha um apoio e fica mais livre para focar no próprio prazer nesse momento. Para isso, ela pode tanto usar a mão quanto um mini vibrador, por exemplo.

Tem alguma dúvida sobre sexo, sexualidade ou alguma posição sexual ? Entre em contato conosco pelo  sexo@igcorp.com.br  e nós trazemos um especialista para respondê-la com sigilo total!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.