Tamanho do texto

Australiana não conseguia ter uma boa noite de sono porque seu parceiro roncava muito, e, para resolver o problema, cada um passou a ter seu quarto

Todas as noites, eles trocam beijos, dão abraços calorosos e desejam um ao outro uma noite de sono tranquila. Depois, se despedem e cada um vai para o seu próprio quarto. Essa rotina acompanha o casal australiano Jennifer Adams, de 52 anos, e seu marido, Fraser Mackay, de 50, desde que eles oficializaram a união, há 14 anos. Eles praticamente nunca dormiram juntos e garantem que isso não afetou o casamento e a vida sexual deles.

Leia também: O amor e suas diversas formas

Casal não dorme junto há mais de 13 anos e acredita que isso fortaleceu a união e não atrapalhou o sexo
shutterstock
Casal não dorme junto há mais de 13 anos e acredita que isso fortaleceu a união e não atrapalhou o sexo


O casal conta que dormir em camas separadas não esfriou a relação, muito pelo contrário, tornou a relação mais forte do que nunca. Mas nem sempre foi assim, no começo, eles dividiam a mesma cama, mas não conseguiam ter uma boa noite de sono juntos. “Nós estávamos saindo por cinco meses, nos apaixonamos loucamente um pelo outro e, muito rapidamente, ele se mudou para minha casa”, diz Jennifer em entrevista ao “Daily Mail Australia”.

Eles organizaram o quarto que passariam a dividir, mas não conseguiram passar uma semana dividindo o mesmo colchão. A australiana não conseguia dormir por conta do ronco do parceiro e, mesmo no final de semana, não conseguia descansar o suficiente. “O ronco se tornou um problema predominante”, afirma. Fora isso, eles tinham hábitos muito diferentes e cada um queria dormir e acordar em um horário.

Fim das noites sem dormir

"A princípio, resolvemos começar a dormir em quartos separados, mas passávamos nossos fins de semana dividindo a mesma cama. Ainda assim nos sentíamos cansados", relata a australiana. Foi então que  encontraram uma solução prática para acabar de vez com suas noites sem dormir : cada um teria seu próprio quarto até nos finais de semana.

Leia também: Casamento melhora depois de 20 anos de união, afirma pesquisa

"Nossos quartos ficavam ao lado um do outro, mas ficamos muito tristes em nos separar", lembra Jennifer. “No começo, foi um choque para nós dois, estávamos nervosos com isso, mas conversamos muito sobre o assunto. Eu chorei um pouco, mas de uma perspectiva prática, eu sabia que precisava sanar meu sono, e conseguimos fazer isso funcionar.”

O casal acabou se aproximando mais

Depois de passar meses separados sob o mesmo teto, o casal notou que dormir separado os aproximou. Passaram a ter uma boa noite de sono e isso fez com que se sentissem melhor e mais dispostos. “Somos como todos os outros casais, exceto por termos nossas próprias camas”, diz a australiana. Estamos juntos há 14 anos, somos casados ​​há 11 anos e dormimos separados por 13 anos e meio. Estamos muito felizes com nosso casamento”, acrescenta.

Leia também: Jovem encontra bilhete de 38 anos atrás com recado de amor e procura dono

Eles só compartilham a mesma cama quando vão viajar de férias. Durante o dia a dia, o casal fica separado, mas isso não interfere na intimidade deles. “Temos muitos momentos íntimos. Se você perder a intimidade, aí sim começa a ter problemas no relacionamento, mas isso nunca foi um problema para nós”, finaliza Jennifer.

    Leia tudo sobre: amor
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.