Tamanho do texto

Está com medo de passar vergonha na frente da família daquela pessoa especial? Isso nós não podemos prevenir, mas separamos alguns micões para que você se acostume com a ideia e saiba que sempre pode piorar

As festas de final de ano simbolizam alegria, gratidão, conquistas e recomeços. Certamente, é uma ótima época de se reunir com a família, entregar presentes, saborear aquela sobremesa que a avó só faz no Natal e, para algumas pessoas, fazer aquela visitinha à família do namorado ou da namorada. Para muita gente, a mera perspectiva de passar uma data tão significativa com pessoas desconhecidas que muito provavelmente estarão reparando em tudo é de arrepiar todos os pelos do corpo, principalmente para quem tem tendência a, digamos, pagar micos.

Leia também: Cinco vezes em que o sexo terminou em um verdadeiro desastre

A combinação da vergonha em conhecer pessoas novas com álcool, comida e falta de noção pode render muitos micos
Reprodução
A combinação da vergonha em conhecer pessoas novas com álcool, comida e falta de noção pode render muitos micos

É claro que nem todas as famílias deixam os “agregados” desconfortáveis, mas para quem já costuma transformar situações simples em tragédias com tombos e perguntas inapropriadas, a situação pode ser um verdadeiro pesadelo, ainda mais se o parceiro ou parceira dessa pessoa for usar o Natal ou o Réveillon para apresentá-la aos familiares. Pensando nisso, separamos oito  micos que as leitoras do Delas já pagaram em reuniões de família para mostrar que, com certeza, você não é a única pessoa a sofrer com isso; confira:

Álcool e festa de família não combinam

“Eu e meu namorado fomos ao casamento do primo dele, ficamos muito bêbados e eu passei mal na volta com a mãe dele. Ela teve de parar o carro para eu passar mal. O casamento foi em uma chácara, era a uns 40 minutos até a casa dele, pegava estrada e tal, ela precisou parar no meio da serra. Chegando na casa dele, tiveram de me dar remédio e a mãe dele me fez uma sopa. Ela ainda ficou me defendendo, dizendo que eu passei mal por causa das curvas da serra” – Renata Almeida*.


Perna traíra

“Eu estava saindo com esse cara fazia um mês e meio, quase nada, tinha saído com ele três ou quatro vezes nesse período, aí ele me convidou para ir na casa dele e conhecer os pais. Ok. Eu fiquei meio: ‘Hm, cedo, né?’, mas fui. Deu tudo certo, conheci os pais, só que aí iam chegar outros parentes mais tarde.

Eu estava sentada no sofá da sala com ele, só que estava com a perna dobrada e minha perna começou a formigar, aí chegaram os outros parentes, eu fui levantar para cumprimentá-los, fui cruzar a sala e fiz o que? Isso mesmo, caí no meio da sala porque não estava sentindo meu pé. Caí no meio da sala na frente dos parentes todos, rimos, e eu nunca mais vi o menino na minha vida porque terminei por mensagem, tipo, uma semana depois” – Giulia Bressani.

Leia também: Pesquisa mostra quais são os micos mais comuns na hora do sexo; confira a lista

Namorada-pimentão

“Foi em 2013, eu não estava namorando o menino exatamente, a gente estava junto há um tempinho e ele me convidou para ir conhecer a família dele em São José dos Campos (ele é de lá e morava em São Paulo). A gente ia viajar na sexta-feira, no horário do almoço, e de manhã eu fui fazer as sobrancelhas. Era a primeira vez que a mulher fazia a minha, aí ela passou henna. Eu sou mega alérgica a henna. Quando ela passou, eu disse que era alérgica, aí ela tirou, mas já tinha ficado, já tinha pegado a tinta no rosto.

Quando a gente estava indo para São José, eu já estava empelotando, já estava ficando vermelha. Tudo começou dando errado e eu nunca tinha conhecido a família do menino, né, e já cheguei em uma festa de família , não conhecia ninguém! Era aniversário de alguém e eu toda empelotada, toda vermelha, e ele me apresentando como namorada sendo que eu não namorava ele... Pior que isso, acho que não dá para ficar" – Mariana Stocco.

Meme errado na hora errada

“Eu estava em um carro indo para o cinema com a família do cara que hoje é meu ex-namorado. Meu ex-cunhado é adotado, mas por um momento eu esqueci, aí meu ex-sogro me falou alguma coisa e eu respondi dizendo: ‘Deus é pai, não é padrasto’. Silêncio constrangedor . Não tinha nem como fugir” - Bruna Andrade*.


"Timing" ingrato

“Era aniversário dele e estava tendo uma festa na casa dele, com a família e os amigos. Nós estávamos juntos há um tempo, mas não namorando. O combinado era: a família não precisa saber. Eu estava lá, fui fazer xixi e, quando saí do banheiro, estava a família inteira dele na porta, esperando para me conhecer” – Amanda Menezes*.

Era só um carinho no dog...

“Estava na casa da minha namorada (que hoje é minha ex), brincando com o cachorrinho dela, aí caí e torci o pé. Achei que ia morrer de tanta dor, e a minha sogra teve de me levar ao médico” – Heloísa Ferreira*.

Visita surpresa

"Meu primeiro namorado do colegial morava na rua de trás da escola e a avó dele tinha um apartamento no prédio do lado, só que ela morava em santos, então o apartamento ficava vazio. A gente ia lá durante a semana porque na casa dele tinha a mãe e tal. A avó dele nunca voltava para São Paulo sem avisar, mas teve um dia em que ela estava na cidade e ele não ficou sabendo.

A gente estava lá, mas não estávamos fazendo nada ainda, só se pegando no sofá. Ouvimos um barulho da chave na porta da cozinha e não dava tempo de correr. Deu tempo de eu colocar a blusa e ele correr para o quarto – ia me deixar lá – mas voltou. Aí a avó dele chegou e estávamos sentados no sofá, os dois ofegantes, vermelhos... Aí ela perguntou o que a gente estava fazendo lá e ele disse que íamos ao cinema e estávamos só fazendo hora. Ela perguntou por que a gente não esperou na casa dele, e ele disse que era porque estava tendo faxina. Eu conheci a avó dele naquele minuto, muito constrangedor". – Larissa Menezes*

Leia também: Saiba como evitar pagar micos e sair de saias-justas com bastante classe

#Saudadesprivacidade

“Uma vez eu viajei com a família do meu namorado e ia dormir no mesmo quarto que todo mundo. Esperei um momento estratégico para fazer o ‘número dois’, mas aí, quando estava saindo de lá, meu namorado chegou e logo atrás dele veio o irmão dele gritando: ‘Nossa, mas que cheiro de m****!’. Ele achou que tinha sido meu namorado, por isso gritou, mas foi bem constrangedor” – Fabiana Alves*.

*Algumas leitoras pediram que seus nomes fossem alterados para evitar micos maiores ainda.

    Leia tudo sobre: Amor
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.