Pesquisa realizada com duas mil pessoas da Europa e Estados Unidos avaliou quais foram os maiores constrangimentos que ocorreram bem na hora H

Todo mundo passa vergonha em algum momento da vida. Pode ser uma queda boba depois de tropeçar no próprio pé no meio de um shopping, ficar com uma verdura presa no dente sem ninguém avisar ou, então, levar um susto e acabar fazendo xixi nas calças. Entretanto, um dos mais temidos constrangimentos é aquele que ocorre bem no meio do sexo, quebrando todo o clima.

Leia também: Micos e piores erros ao usar o WhatsApp

Constrangimentos mais recorrentes são muito comuns de acontecer em  vários momentos do dia a dia, não só no sexo
Shutterstock
Constrangimentos mais recorrentes são muito comuns de acontecer em vários momentos do dia a dia, não só no sexo

A loja online “Online Doctor” realizou uma pesquisa com dois mil usuários da Europa e Estados Unidos para saber quais foram seus maiores constrangimentos na hora H. O mico mais recorrente é algo muito comum de se acontecer em vários momentos, não só no sexo: uma cãibra muscular.

Mais de 13% dos entrevistados relataram já ter tido o problema bem quando estavam no meio de uma relação sexual. Em seguida, vem a janela que acabou sendo deixada aberta, para todos os vizinhos ou pessoas que passassem por perto pudessem ver a cena de amor. O mico está empatado com os atos que duram apenas alguns minutos. Cada um deles reuniu 11,3% dos relatos.

Entre os outros constrangimentos listados também estão, por ordem de relevância, deixar cair alguma coisa, ser interrompido por alguém que está chegando ao local, derramar alguma coisa, acabar caindo da cama ou do sofá, acabar dobrando o pênis do parceiro ou o próprio órgão durante a relação, quebrar a cama ou sofá, acabar soltando um pum alto, arrotar, pedir para filmar as caretas, incluir comida na cama durante o sexo, morder alguém e acabar beijando a axila da pessoa.

Segundo os entrevistados, separar alguns minutos para avaliar melhor o local onde vai ocorrer a relação sexual pode ajudar a evitar pelo menos algumas dessas 15 bizarrices – no caso de puns e arrotos, avaliar o que você comeu antes também pode ser importante. Apesar da vergonha que as pessoas acabaram sentindo, os parceiros não chegaram a se importar suficientemente para interromper a relação. Pensando bem, a quebrada de gelo pode até mesmo ter ajudado na hora de relaxar e chegar ao clímax.

Mulheres vs. Homens

As mulheres foram as que mais acabaram tendo cãibras no meio da relação sexual, já a maior reclamação dos homens foi o ato ter durado apenas alguns minutos, algo que nem aparece na lista de 10 maiores constrangimentos das clientes do sexo feminino.

Leia também: Nada de água! 5 bons motivos para não fazer sexo na piscina 

O problema nos músculos entra em segundo lugar para os homens, e a sequência de ambos os sexos continua com janelas abertas, derrubar alguma coisa e ser interrompido por alguém durante o ato. E por incrível que pareça, a preocupação em acabar virando o pênis para o lado errado é maior entre as mulheres do que os homens. Fica em sexto lugar para elas e apenas em sétimo para eles, que se importam mais quando acabam derramando alguma coisa pela cama, sofá ou chão.

Outras diferenças entre eles estão que eles não gostam quando acabam beijando a axila da parceira ou parceiro, enquanto elas ficam mais envergonhadas quando acabam soltando gases ou liberando algum xixizinho.

Países

A pesquisa avaliou as respostas de duas mil pessoas em 14 países: Estados Unidos, Portugal, Espanha, França, Itália, Croácia, Romênia, Áustria, Hungria, Alemanha, Reino Unido, Bélgica, Holanda e Polônia.

As cãibras, que podem ser evitadas fazendo um alongamento antes do ato ou apenas se mantendo hidratado, foram os maiores problemas dos Estados Unidos, Reino Unido, Holanda, França, Portugal, Itália, Áustria e Romênia. Já na Bélgica e Polônia o que mais ocorre são os casos de sexo rápido demais. Na Alemanha e Espanha estão as pessoas mais esquecidas, que deixam a janela aberta.

Indo contra os 15 maiores micos na Europa e Estados Unidos, na Hungria a maior vergonha é acabar rasgando a própria roupa ou a do parceiro, enquanto na Croácia o problema fica mesmo é com o escape do xixi.

Fetiches

Se algumas pessoas podem ficar assustadas ao se lembrar que a janela ficou aberta, outras podem ficar ainda mais excitadas
Shutterstock
Se algumas pessoas podem ficar assustadas ao se lembrar que a janela ficou aberta, outras podem ficar ainda mais excitadas

Se para algumas pessoas estes acontecimentos podem ser verdadeiros pesadelos, para outras são, na verdade, situações que vão deixá-las ainda mais excitadas. Quando a pergunta muda para os maiores fetiches e fantasias, incluir comida é o item que mais entrevistados disseram que amariam que acontecesse durante o sexo. Na sequência vem filmar as caretas e deixar a janela aberta - será que eles acham que o que é proibido é mais gostoso?

Os homens são os que mais gostam da ideia de filmar a relação, enquanto as mulheres gostam mesmo é da ideia de acrescentar uma comidinha ao ato. Ambos os sexos gostam da ideia de fazer sexo com as janelas abertas.

As pessoas também citaram que gostariam de ter as roupas rasgadas, quebrar a ama ou sofá, ter a axila beijada, que alguém acabasse caindo da cama ou sofá, receber mordidas e até que alguém beijasse, lambesse ou chupasse o seu pé.

Entretanto, estas mesmas pessoas odiariam que o parceiro ou parceira errasse o nome durante o sexo. O problema é o mais odiado tanto por homens quanto mulheres e seria um motivo para acabar com o sexo na opinião de 19% dos entrevistados.

Leia também: Grupos de sexo crescem e deixam mulheres mais confortáveis para tocar no assunto

Entre os outros constrangimentos que seriam odiados até quando o assunto é fantasia estão ser interrompido por alguém, alguém soltar um pum silencioso, porém “mortal”, alguém acabar fazendo xixi e que um dos dois acabasse espirrando.

Ponto final na relação

Além do nome errado, outros micos que fariam as pessoas terminarem o sexo seria um dos parceiros soltando um pum alto, gases muitos fedidos e alguém não segurando a bexiga e fazendo xixi. As mulheres gostam menos da ideia de serem filmadas durante o sexo, enquanto os homens ficam mais incomodados de terem suas caretas gravadas.

Por país, Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Polônia, Itália, França e Portugal concordam que errar o nome é o pior que pode ocorrer. Mas Bélgica, Espanha e Áustria veem mais problema em gases muito altos. Já Hungria e Romênia não aceitam os puns muito fedidos, enquanto para os croatas um dos piores constrangimentos é alguém derramando alguma coisa durante o ato e para os holandeses o pesadelo maior é o xixi.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.