Tamanho do texto

A pesquisa foi realizada entre os usuários de um site para quem busca relacionamentos conjugais e os dados levantados apontam que trabalho e infidelidade podem ter uma ligação maior do que você imagina

Afinal, o que leva alguém a cometer uma traição? As razões são diversas, mas, de acordo com um estudo conduzido recentemente pelo “Illicit Encounters” – o maior site do Reino Unido para quem busca ter relacionamentos extraconjugais –, há alguns fatores em comum entre pessoas infiéis: grande parte delas tem uma renda anual acima da média e mais da metade é composta por homens.

Leia também: Mulheres se unem para desmascarar traição dos maridos; confira a história

Segundo o estudo, pessoas com uma condição financeira acima da média são mais propensas a cometer uma traição
Shutterstock
Segundo o estudo, pessoas com uma condição financeira acima da média são mais propensas a cometer uma traição


O levantamento em questão consiste em várias pesquisas conduzidas com as pessoas que participam ativamente do site e, pelo jeito, a traição é algo que tem um bocado a ver com o trabalho. Segundo os dados levantados, o número de executivos que buscam parceiros e parceiras para ter um “ affair ” aumentou 8% durante o último ano, e 45% dos membros do site já tiveram um romance com uma pessoa com quem trabalham.

Leia também: Na hora de trair, 49% das pessoas escolhem a própria casa para o encontro

De acordo com uma pesquisa feita com 600 usuários do site, a quantidade de trabalho também pode estar ligada a esse comportamento. Os dados indicam que 29% das pessoas trabalham 60 horas por semana, 34% trabalham durante 40% na semana e 20% trabalham até 80 horas por semana. Além disso, o salário médio dessas pessoas é bem alta: enquanto a média nacional para os britânicos é de 27 mil libras anuais (cerca de R$ 118,7 mil), a média entre as pessoas envolvidas com “affairs” é de 52 mil libras por ano (aproximadamente R$ 228,7 mil).

O mozão trabalha na área financeira? Então é bom ficar de olho, já que os dados levantados pelo site mostram que 60 mil usuários são profissionais ligados a essa área. Além disso, mais da metade (65%) das pessoas adeptas dos “Illicit Encounters“ são do sexo masculino.

Leia também: Sexo oral é prática que não pode faltar nem em "affairs", aponta estudo

Por que isso ocorre?

Mas, afinal, o que liga o trabalho e a renda de uma pessoa à infidelidade ? De acordo com Christian Grant, porta-voz do site, pessoas muito bem-sucedidas costumam viver pelas carreiras, trabalhando por muitas horas e colocando o trabalho acima de qualquer coisa. “Mas eles ainda são humanos. Você ainda quer ter relações físicas, mas chegar em casa tarde e encontrar o parceiro dormindo não é o ideal”, explica ele, reforçando oque talvez esse seja o motivo de tantas pessoas escolherem cometer uma traição com pessoas do trabalho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.