Tamanho do texto

Fisioterapeuta e especialista em sexualidade, Cátia Damasceno explica os diferentes objetivos das práticas de fortalecimento dos músculos “de lá”

Provavelmente, você já ouviu falar em pompoarismo e sabe do que se trata. No entanto, a fisioterapeuta e colunista do Delas, Cátia Damasceno , conta que existem algumas práticas que são conhecidas como fisioterapia pélvica. “São duas coisas diferentes, mas que dividem algumas práticas específicas e resultados”, explica.

Leia também: Dicas para conquistar um homem: 5 formas de ficar irresistível

Fisioterapia pélvica ajuda a fortalecer os músculos vaginas e corrigir postura
Shutterstock
Fisioterapia pélvica ajuda a fortalecer os músculos vaginas e corrigir postura

Para que você possa entender melhor a diferença entre fisioterapia pélvica e pompoarismo, Cátia destaca alguns fatores que separam essas duas práticas. Confira:

Algumas diferenças

"Existem poucas diferenças entre as duas práticas", explica a especialista. "A fisioterapia pélvica é mais voltada para a saúde em geral, enquanto que o pompoarismo é mais focado na vida sexual ", compara, destacando que, mesmo assim, os dois acabam trazendo benefícios tanto físicos quanto sexuais.

Postura x prazer

Enquanto a fisioterapia é uma prática terapêutica e tem o principal objetivo de prevenir ou corrigir alterações de postura que possam intervir no funcionamento dos músculos vaginais e dos órgãos da cavidade pélvica, o pompoarismo é uma técnica que serve para melhorar e aumentar o prazer sexual durante o contato íntimo – e ainda permite pressionar o pênis do parceiro durante a relação.

Leia também: Como aumentar a lubrificação feminina e ter mais prazer?

"Nos dois casos, vai haver melhora em questões como a incontinência urinária e disfunções sexuais", explica Cátia. Mas a especialista ressalta que o pompoarismo utiliza acessórios como os chamados cones, as bolas Ben-wa e até vibradores, diferente da fisioterapia.

Assoalho pélvico: o resumo de tudo

Cátia Damasceno conta que as duas práticas permitem exercitar o assoalho pélvico, que é uma verdadeira rede de músculos de sustentação localizada entre o osso púbis e o cóccix, ou seja, na região da bacia.

"O pompoarismo é o movimento controlado dos músculos do assoalho pélvico e do canal vaginal e, por isso, exercita o assoalho pélvico", conta a especialista. "Algumas fisioterapeutas utilizam exercícios de pompoarismo durante o tratamento, mas a fisioterapia olha mais para a musculatura como um todo e, por isso, elas são práticas independentes, mesmo que uma colabore com a outra", completa.

Por fim, Cátia reforça a importância de cuidar do assoalho pélvico. "Essa musculatura toda acaba sofrendo traumas durante a gestação, o parto e outros tipos de cirurgia, e fortalecer a região ajuda na recuperação", conta. "E também não dá pra esquecer que a menopausa e o envelhecimento podem enfraquecer essa região, e isso pode causar problemas que geram desconforto e acabam com a autoestima da mulher", completa.

Para saber mais sobre fisioterapia pélvica, pompoarismo e sexo, leia a coluna Dúvidas sobre sexo , com a sexóloga Cátia Damasceno aqui no Delas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.