Tamanho do texto

Ao contrário do que se pensa, não são os jovens quem lideram as traições

Traição é algo que pessoas fazem quando são jovens e estão em relacionamentos instáveis, certo? A resposta é “não” segundo uma pesquisa recente. Surpreendentemente, novas estatísticas revelaram que tanto os homens quanto as mulheres com cerca de 50 anos estão mais propensos a trair o parceiro/parceira.

Leia também: Pesquisa revela as principais justificativas que as pessoas dão para o adultério

Pesquisa mostrou que pessoas mais velhas cometem mais traição do que os jovens
shutterstock
Pesquisa mostrou que pessoas mais velhas cometem mais traição do que os jovens

Os dados sobre traição foram levantados pelo site de pesquisas estadunidense “ The Institute for Family Studies” e mostraram que homens e mulheres mais velhos estão traindo seus cônjuges com mais frequência do que as gerações mais jovens. De acordo com a pesquisa, 20% dos estadunidenses ​​com mais de 55 anos confessaram ter um caso extraconjugal.

No entanto, segundo Nicholas H. Wolfinger, professor de estudos familiares na Universidade de Utah, apenas 14% daqueles com menos de 55 anos admitiram ter traído. Ao “The Sun”, o professor afirma que, desde os anos 2000, foi notado um aumento do número de traições de pessoas entre 50 e 69 anos. Destes, a maioria contou aos pesquisadores que se casou quando tinha entre 20 anos e 30 anos de idade.

Leia também: Descubra com quem 62% das mulheres confessou ter desejado ser infiel 

O motivo

Embora possa parecer que os adúlteros ficaram entediados com seus casamentos depois de um tempo - ou estão tendo crises de meia idade - o professor tem outra teoria para o resultado da pesquisa. Ele calcula que essa geração teve mais parceiros sexuais ao longo de suas vidas do que as gerações mais jovens e isso reflete em como eles agem em um relacionamento.

Esses dados refletem o cenário dos casamentos. "Mesmo que as taxas gerais de divórcio tenham caído nas últimas décadas, houve um aumento surpreendente no divórcio entre pessoas de meia-idade”, explica o professor. "Parte disso vem do adultério na meia idade, o que parece ser tanto a causa como a consequência de um casamento falido”.

Leia também: Pesquisa aponta qual desculpa é a mais usada para esconder o adultério

Para Wolfinger, os jovens serem menos propensos a trair significa que o casamento monogâmico ainda tem futuro na sociedade. Mas, para os estadunidenses mais velhos, a traição ainda pode trazer muitas consequências e acabar com algumas uniões. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.